Gabinete quer permitir transferência de dados de não vacinados

O Gabinete Corona se reuniu ontem (domingo) para discutir as medidas para sair da quarentena e retomar o ritmo da campanha de vacinação.

Como parte do plano para acelerar a velocidade da imunização, os membros do gabinete aprovaram uma série de medidas, algumas das quais ainda exigem aprovações em outras instâncias e emendas legislativas.

Algumas das medidas serão utilizadas pelas autoridades locais para auxiliar na campanha de vacinação. A primeira delas é a transferência de dados dos não vacinados para o Ministério do Interior e as autoridades locais, a fim de estimular a imunização da população-alvo. O Gabinete concordou com a proposta, preliminarmente, e a efetivação só poderá ser ocorrer após a aprovação de emendas legislativas.

O plano será acompanhado de processos de controle para evitar uso indevido da informação privada ou seu alcance àqueles que não estão autorizados a recebê-la. Os Ministérios da Saúde e da Justiça submeterão o plano à aprovação do Comitê Ministerial de Legislação e, se as emendas à lei forem aceitas, serão submetidas à Knesset para aprovação. Parecer detalhado sobre o assunto será encaminhado pelo Ministério da Saúde.

LEIA TAMBÉM
Além disso, durante a reunião, foi oferecida compensação financeira às autoridades locais de acordo com os índices dos vacinados. A oferta também foi estendida às equipes médicas para incentivar pessoas com mais de 50 anos a se vacinarem.

Outro passo no incentivo à vacinação é ligar para aqueles que não receberam a primeira dose. Além disso, os membros do gabinete exigem vacinação obrigatória ou testes frequentes para professores, motoristas e equipes médicas. As reservas naturais também buscarão estimular a vacinação e instalar postos móveis de vacinação na entrada.

No início da reunião de ontem, o primeiro ministro Benjamin Netanyahu sinalizou sua intenção: “Traremos a legislação imediata do governo que permitirá que as autoridades locais recebam dados sobre aqueles que não foram vacinados, incentivando-os a se vacinarem e salvar vidas”.

Foto: Tomer Neuberg (Flash90)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *