Gripe deve chegar mais cedo e com mais força

A gripe sazonal deve atingir níveis excepcionalmente altos este ano, disseram autoridades de saúde no domingo, quando a campanha anual de vacinação contra a gripe foi lançada.

O vírus deve chegar em novembro, colocando em risco o sistema de saúde do país, que já está lutando contra o peso de cerca de 700 pacientes graves com COVID-19.

A gripe é um dos vírus de inverno mais comuns e altamente infecciosos. Semelhante ao coronavírus, é transmitido de pessoa para pessoa principalmente por gotículas exaladas quando as pessoas tossem, espirram ou mesmo falam.

Desde março de 2020, Israel não apresentou nenhum caso grave de gripe.

O Dr. David Mossinson, médico chefe dos Serviços de Saúde Meuhedet, explicou que a situação surgiu em grande parte porque as pessoas foram cuidadosas ao usar máscaras em quase todas as situações no ano passado. Além disso, durante o período em que a gripe estaria se espalhando por todo o país, as pessoas ficaram em casa e escolas e pré-escolas foram fechadas.

“Distanciamento social e máscaras tornaram a temporada de gripe do ano passado quase inexistente em nossas vidas, e a última vez que houve uma taxa de morbidade tão baixa foi em 1988”, disse Mali Kusha, chefe da enfermagem da Meuhedet.

LEIA TAMBÉM

No entanto, o que Israel e o resto do mundo viram no verão, quando as pessoas começaram a tirar as máscaras, foi um “salto nos vírus e infecções respiratórias”, disse Mossinson.

“Houve um aumento incomum e inesperado de infecções respiratórias que geralmente caracterizam os meses de inverno. O resultado foi um fardo significativo para o sistema de saúde que normalmente não vemos nos meses de verão. Esse fenômeno também foi relatado em todo o mundo”.

Segundo Mossinson, em Israel, as enfermarias pediátricas ficaram lotadas. Agora, os médicos acreditam que a taxa de gripe em Israel será ainda maior neste ano, maior até do que nos anos anteriores, e eles acham que o vírus vai atacar mais cedo também.

Nos Estados Unidos, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) previram um aumento de até 20% nos casos de gripe, com maior flexibilização das restrições e retomada das viagens internacionais.

No entanto, com vacinação e boa higiene, assim como é com o COVID-19, uma situação fatal pode ser evitada, disse Mossinson.

O vírus da gripe muda a cada ano e, portanto, as pessoas precisam receber uma nova vacina. A vacina contra a gripe é produzida com base na previsão da Organização Mundial de Saúde sobre quais cepas devem circular. Na maioria dos casos, as previsões foram precisas e a vacina funcionou.

A vacina é mais importante para pessoas em quatro grupos-alvo: pessoas com mais de 65 anos, mulheres grávidas, pessoas com doenças crônicas e bebês e crianças de seis meses a 12 anos que não podem ser vacinados contra COVID-19.

Este ano, a Meuhedet está oferecendo a vacina Fluzone High-Dose contra influenza para pessoas com mais de 65 anos, que é 24% mais eficaz.

Entre 70% e 80% das mortes relacionadas à gripe sazonal ocorreram em pessoas com 65 anos ou mais. Além disso, 50% a 70% das hospitalizações relacionadas à gripe sazonal ocorreram entre pessoas nessa faixa etária.

Todos os anos, cerca de 60% da população idosa de Israel é vacinada. Todos os fundos de saúde têm as vacinas padrão e nasais contra gripe para pessoas em outras faixas etárias.

Além disso, este ano, as pessoas podem receber as vacinas contra a gripe e o COVID-19 ao mesmo tempo, embora o ideal seja em membros diferentes.

“No ano passado, quando começamos a vacinar, em dezembro, não tínhamos informações sobre as novas vacinas COVID, então não permitimos que as pessoas as tomassem junto”, disse Mossinson, observando que o protocolo deveria ter um intervalo de 14 dias entre as duas.

Ele disse que as pessoas deveriam se apressar para tomar as vacinas antes do final do próximo mês, quando a gripe deve chegar.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: Polina Tankilevitch (Pexels)