União Europeia busca estratégia de combate ao antissemitismo

A União Europeia publicará uma nova estratégia de combate ao antissemitismo no continente, em outubro, declarou a principal autoridade da UE sobre o assunto.

O antissemitismo aumentou na Europa nos últimos meses, especialmente em torno da questão da pandemia do coronavírus. Um relatório da Comissão Europeia divulgado em junho mostrou que o conteúdo antissemita postado nas principais plataformas online em alemão e francês disparou durante os primeiros dois meses de 2021, comparado ao mesmo período do ano passado, antes do surto da doença.

Apenas durante os meses de janeiro e fevereiro de 2021, as postagens antissemitas aumentaram 13 vezes nas contas em língua alemã e sete vezes nos canais franceses estudados.

Katharina von Schnurbein, coordenadora da UE na luta contra o antissemitismo, disse que o recente salto do antissemitismo é “chocante”, principalmente online.

Como resposta, disse ela, a UE apresentará em breve uma “estratégia para combater o antissemitismo e promover a vida judaica” qie vai integrar a luta contra o antissemitismo entre os países membros. Ela se concentrará na aplicação das atuais leis de discurso de ódio à questão do antissemitismo. Os países membros adotarão estratégias nacionais individuais para combater o ódio antijudaico.

LEIA TAMBÉM

Ela citou a pandemia do coronavírus como uma das principais causas do aumento do antissemitismo. No entanto, também apontou para o conflito de Israel com o grupo terrorista Hamas em maio. Ela disse que isso gerou uma onda de ataques contra judeus na Europa e nos Estados Unidos.

Schnurbein disse: “Não aceitamos … em hipótese alguma, que um conflito em outra parte do mundo possa ser usado para justificar pressões contra nossos cidadãos. Ou mesmo os ataques e atos criminosos contra nossos cidadãos aqui”.

Quanto à pandemia, ela disse que o antissemitismo “explodiu” em torno do assunto. “Acho que vimos que muitos dos antigos mitos da conspiração, as velhas ideias, foram reformulados”.

O antissemitismo online, disse ela, “não é necessariamente ilegal, mas pode ser muito prejudicial porque pode levar à radicalização”.

Schnurbein acrescentou que o aumento do antissemitismo tem implicações terríveis para a sociedade europeia, dizendo: “Às vezes, a enormidade de onde estamos é mal compreendida: estamos quase 80 anos após o Holocausto e vemos sintomas na sociedade onde os judeus se sentem ameaçados novamente. Isso, claro, é algo incrível”.

“Quando o antissemitismo está em alta, você sabe que algo maior está acontecendo”, disse ela. “Nós lidamos com os sintomas, mas também há outras questões que precisam ser resolvidas. Quando você luta contra o antissemitismo, você defende a democracia, você defende a igualdade, você quer uma sociedade diversa”.

A estratégia da UE também inclui um aspecto mais positivo. Consiste em educar os cidadãos sobre a vida e a história dos judeus europeus.

“Acho que é muito importante porque é a nossa história”, disse Schnurbein. “Em algumas cidades, mais da metade das pessoas eram judias em algum momento. Então teve um impacto e é enriquecedor aprender sobre isso”.

Fonte: Vis A Vis
Foto: Gerd Altmann (Pixabay)