Amazon sem livros nazistas e antissemitas

O Museu de Auschwitz pediu ao empresário Jeff Bezos que retire os livros infantis antissemitas do período nazista que são vendidos em sua plataforma de vendas, a Amazon.

“A odiosa, virulentamente antissemita propaganda nazista está disponível à venda não apenas na Amazon-UK (Reino Unido)”, afirmou o Memorial de Auschwitz em sua conta oficial no Twitter. “Livros de autores como Julius Streicher têm que ser eliminados imediatamente” completava a mensagem, acompanhada de capturas de tela com os livros à venda na plataforma. Nos últimos 18 meses, a Amazon suprimiu de sua plataforma vários livros de autores de extrema-direita, como David Duke, ex-líder da Ku Klux Klan, e George Lincoln Rockwell, fundador do Partido Nazista americano, segundo o jornal New York Times

Um livro infantil chamado “The Mongrel”, juntamente com um ensaio sobre como ensinar a “questão judaica” a crianças em idade escolar e o manifesto político de Streicher foram retirados.

Outro livro de Streicher, intitulado “O cogumelo venenoso”, que foi usado como evidência em Nuremberg também foi retirado. O livro, classificado com três estrelas e meia por 26 usuários on-line, traz na capa uma ilustração racista de um cogumelo feito para parecer uma caricatura judaica de um homem barbudo com um nariz grande e marcado com uma estrela de David.

Um porta-voz da Amazon disse: “Como livreiros, acreditamos que fornecer acesso à palavra escrita é importante, incluindo livros que alguns consideram censuráveis. Levamos a sério as preocupações e estamos ouvindo feedback. A Amazon possui políticas que regem quais livros podem ser listados para venda; investimos tempo e recursos significativos para garantir que nossas diretrizes sejam seguidas e removemos produtos que não cumprem essas diretrizes.”

Karen Pollock, diretora executiva do Holocaust Educational Trust, elogiou a decisão, mas disse que “uma infinidade” de material nazista permanece no site.

Entre o material atualmente disponível na Amazon estão os diários completos do ministro da propaganda Joseph Goebbels, com inscrições de 1923 a 1945, comercializadas por £ 13,75

Também na plataforma está um discurso homofóbico do chefe da SS Heinrich Himmler, de 1938, disponível por 6,74 libras, além de um livro escrito pelo alto funcionário nazista Alfred Rosenberg, por 10,68 libras, Os Protocolos dos Sábios de Sião, livro que afirma que os judeus controlam a economia e a mídia, também pode ser comprado no site.

Foto: imago/images stpp

One thought on “Amazon sem livros nazistas e antissemitas

Fechado para comentários.