Ciência e TecnologiaNotícias

Aparelho diagnostica problemas cardíacos em minutos

Um grupo de médicos-empresários do Hospital Sheba desenvolveu um aparelho que aproveita o poder da inteligência artificial (IA) para diagnosticar o problema cardíaco em um paciente no local em que ele estiver.

Com apenas um scanner portátil e um tablet, os médicos do Hospital Sheba podem usar a plataforma AISAP para obter um relatório interpretando oito funções cardíacas críticas vistas de apenas dois ângulos de imagem.

Como a IA impulsiona o diagnóstico, todos os médicos, e não apenas os cardiologistas, podem usar o aparelho, chamado AISAP, com sucesso.

As máquinas de ultrassom portáteis (POCUS) possibilitam que os pacientes sejam escaneados no hospital, em casa ou em uma ambulância.

Mas isso não significa necessariamente que um paciente receba um diagnóstico que salve sua vida. Mesmo que o POCUS esteja disponível, nem todos os pacientes podem ser priorizados para uma varredura, e pode não haver médicos especialistas suficientes para interpretá-los rapidamente. Este é o desafio que a AISAP supera.

“Existem muitos cenários hoje em que um não cardiologista está cuidando de um paciente cardíaco. Pode ser no andar de medicina interna, no departamento de emergência, na unidade de terapia intensiva ou em um ambulatório. Esses médicos precisam de respostas rápidas”, disse o Prof. Robert Klempfner, cofundador e diretor médico da AISAP.

LEIA TAMBÉM

Este é um desafio urgente quando, de acordo com a OMS, as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo.

Os usuários do AISAP, acreditam que essa situação pode ser evitada, pelo menos em parte, por sua invenção. Ele pode ser usado por qualquer médico para fechar o ciclo da questão clínica, passando pela imagem, até o diagnóstico em minutos, detectando e gerenciando problemas cardíacos a tempo. O AISAP transforma o POCUS em POCAD (diagnóstico assistido no local de atendimento).

“Não estamos tentando substituir o estudo de eco completo, um estudo de 60 minutos feito por um técnico especialista e interpretado por um cardiologista, mas queríamos encontrar uma maneira de responder a perguntas clínicas importantes e fornecer as informações básicas necessárias em um exame de cinco a sete minutos”, explicou Klempfner.

O AISAP foi projetado para fazer o trabalho pesado e eliminar a variabilidade, avaliando a qualidade das imagens de apenas dois pontos de varredura necessários e interpretando informações sobre oito funções cardíacas críticas.

O AISAP analisa a função cardíaca esquerda, a função cardíaca direita, todas as principais patologias valvares, fluido ao redor do coração e o diâmetro da veia cava inferior.

“Esses oito pontos de dados são os itens obrigatórios que criamos depois de fazer várias pesquisas entre médicos em Israel, Europa e EUA”, disse ele.

Após a realização da verificação rápida, as imagens são enviadas para a plataforma segura baseada em nuvem AISAP, que está ligada e acessível de qualquer lugar a qualquer momento. As imagens são analisadas usando IA, que as compara a um enorme banco de dados de digitalizações existentes. A análise é enviada de volta ao tablet quase imediatamente.

“A nuvem AISAP contém a inteligência coletiva de centenas de milhões de quadros que ela viu. São imagens já totalmente anotadas e diagnosticadas por cardiologistas especializados”, explicou Kempfner.

Conclui-se que o AISAP é mais experiente do que qualquer não cardiologista e, portanto, o ajuda a saber se um paciente tem um problema cardíaco, quão grave é e se uma consulta ao cardiologista é necessária.

“AISAP revolucionou nosso atendimento aos pacientes. Realizamos o exame AISAP à beira do leito e recebemos o relatório em segundos e, se necessário, posso compartilhar o relatório com um cardiologista para feedback imediato. Sinto-me muito mais seguro para dar alta aos pacientes”, disse o residente de medicina interna de Sheba, Dr. Kobi Faierstein.

Klempfner disse que leva apenas algumas horas para treinar um médico a usar o AISAP.

O AISAP obteve a aprovação da Divisão Farmacêutica do Ministério da Saúde e já foi vendido para o Sheba. A empresa está negociando a venda para outros quatro hospitais israelenses.

Fonte: Revista Bras.il a partir de The Times of Israel
Foto: Adi Lamm (Sheba Medical Center)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *