Detalhes do lockdown serão decididos no domingo

O Gabinete do Coronavírus decidiu na noite de quinta-feira (10 de setembro) instituir um bloqueio total em todo o Estado de Israel, começando na noite de quarta-feira, 16 de setembro, ou na noite de sexta-feira, 18 de setembro, a primeira noite de Rosh Hashaná.

O bloqueio duraria duas semanas e também atingiria o feriado de Yom Kipur. Depois deste período, não haveria aulas por mais duas semanas.

No entanto, alguns detalhes ainda precisam ser especificados e a decisão será levada ao governo para aprovação final no domingo.

Oito membros do gabinete do Coronavírus votaram a favor da decisão e quatro ministros se opuseram – Amir Peretz, Yisrael Katz, Yaakov Litzman e Aryeh Deri. Os quatro são a favor da possibilidade de impor um toque de recolher noturno em vez de um bloqueio total.

Durante uma pausa nas discussões do gabinete, o primeiro-ministro Netanyahu divulgou uma breve atualização ao público, dizendo que “o Prof. Gamzu e os diretores do hospital foram ao gabinete do Coronavírus e agitaram a bandeira vermelha. Eles disseram que, embora o número de casos graves em Israel ainda seja relativamente baixo, isso poderia mudar em um instante e os hospitais não seriam capazes de tratá-los e haveria muitos casos graves e muitas mortes”.

Segundo Netanyahu, as medidas devem ser tomadas com discernimento e prudência. Portanto, isso leva muitas horas e, por outro lado, deve-se tomar uma decisão com bastante antecedência para que todos possam se organizar para os feriados de Rosh Hashaná e Yom Kipur. “Acredito que será encontrada uma solução que interrompa a morbidade e nos permita sair das restrições de forma gradual e responsável”, concluiu.

Foto: Miriam Alster/Flash90

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *