Falta de exercício pode ser mais letal do que o vírus

Especialistas da Universidade Hebraica de Jerusalém divulgaram uma pesquisa que mostrou que 55% dos israelenses ganharam peso durante o isolamento devido à pandemia de coronavírus, alertando que a falta de exercício pode ter consequências “mais letais” que a doença.

A pesquisa foi realizada entre 1.200 israelenses que declararam se exercitar regularmente, mas foram restringidos durante a quarentena. Dos entrevistados, 55% admitiram ganhar peso enquanto estavam trancados em casa devido ao isolamento social.

24% disseram que continuaram a se exercitar, ter aulas à distância ou compartilhar aulas de ginástica on-line, mas 70% reconheceram que sua atividade física diminuiu nesses meses.

“Durante anos, ensinamos sobre a importância da atividade física para a saúde e falamos sobre a falta de atividade como risco de morte prematura”, disse o fisiologista Horesh Dor-Haim, da Universidade Hebraica.

Dor-Haim alertou que “o impacto da queda na atividade física como resultado de restrições pelo coronavírus pode ser mais letal do que a própria doença”.

O especialista israelense lembrou que: “Todos os anos, mais de 40 milhões de pessoas morrem de doenças não infecciosas em todo o mundo, e estudos mostram que a falta de atividade física leva a um aumento entre 20 e 30%”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *