Israel deve eliminar limite de idade para vacina

Enquanto as kupot cholim Clalit e Meuhedet expandem a campanha de vacinação para mais de 35 anos, funcionários do Ministério da Saúde vão debater hoje à noite se vão eliminar o limite de idade completamente ou expandi-lo para incluir adolescentes de 16 a 18 anos para permitir que eles façam seus exames de admissão nas escolas.

O anúncio foi feito pouco depois de as duas kupot cholim anunciarem que a decisão foi tomada para “não desperdiçar a capacidade de inocular mais de 100.000 pessoas por dia”.  O Ministério da Saúde disse que a mudança do público das vacinas para menos de 40 anos deve ser feita em coordenação entre os planos de saúde e o Ministério.  “Todas as decisões são tomadas de acordo com a situação em campo e a quantidade de oferta disponível”, disse o Ministério.

No início da quarta-feira, o ministro da Saúde Yuli Edelstein disse que mais de 200.000 israelenses foram vacinados contra o coronavírus na terça-feira. De acordo com Edelstein, 2.272.000 israelenses já receberam a primeira dose da vacina e 550.000 as duas vacinas. Na terça-feira, Edelstein ordenou que o Diretor Geral do Ministério da Saúde, Prof. Hezi Levy, que supervisiona a campanha de vacinação, aumentasse as vacinações diárias para 250.000.

Segundo estimativas do Ministério da Saúde, 77% dos israelenses com mais de 60 anos foram vacinados. Entre as pessoas de 30-39 anos, 16% foram inoculados, 30% entre as idades de 40-49 e 51% entre as idades de 50-59.

Foto: Yossi Aloni (Flash90)

2 thoughts on “Israel deve eliminar limite de idade para vacina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *