Jovem aprendiz acha pedra do período bizantino

Stav Meir, de 13 anos, um dos milhares de jovens israelenses que participaram de um programa educacional oferecido pela Autoridade de Antiguidades de Israel (IAA), estava procurando cogumelos com seu pai e irmãos e acabou encontrando uma inscrição grega de 1.500 anos, datada do período bizantino, em Cesareia.

“Estudei arqueologia na escola junto à Autoridade de Antiguidades de Israel e pude identificar imediatamente que era uma antiguidade”, disse Stav

A pedra branca que se projetava do chão, e foi descoberta pelo jovem, era parte de uma inscrição fúnebre, como explicado por Peter Gendelman, pesquisador na IAA, observando que a inscrição indica o nome do falecido e a localização da sepultura dentro do cemitério.

“Já nos tempos antigos, Cesareia era um centro de atração para uma população rica. A qualidade da lápide descoberta por Stav indica o status da riqueza da pessoa enterrada, bem como os costumes e crenças dos habitantes de Cesareia no período bizantino. Essa inscrição se junta a uma grande coleção de inscrições funerárias descobertas anteriormente na antiga Cesareia”, afirmou ele em comunicado.

“Temos cinco escolas da IAA que trabalham com escolas e crianças em todo o país”, disse Einat Kashi, chefe do centro localizado em Haifa, ao The Jerusalem Post. “Cada centro emprega coordenadores e guias turísticos para trabalhar com jovens”, acrescentou.

Por mais de 20 anos, a IAA organizou centenas de programas com escolas israelenses de todos os setores, do jardim de infância ao ensino médio. Os programas consistem em que os representantes da IAA frequentem as escolas para ensinar as crianças sobre a arqueologia e a história do país durante o ano letivo, e que os estudantes façam passeios pelas escavações e participem pessoalmente delas, especialmente durante o verão. Cada participante desfruta de 12 a 20 reuniões com funcionários da IAA.

A IAA também oferece aos adolescentes entre 16 e 18 anos a possibilidade de trabalhar nas escavações como um emprego de verão. “Eles recebem um salário e acreditamos que é uma grande oportunidade de aprendizado”, afirmou.

Stav Meir recebeu um Certificado de Apreciação por sua boa cidadania.

Foto: Carm Said – Israel Antiquies Authority (Israel Noticias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *