Sensor israelense detecta alimentos alergênicos

Alergias alimentares podem causar ataques anafiláticos a milhões de pessoas. A empresa SensorGenic apresenta uma solução para reduzir essa situação.

Na idade de um ano, o empresário Noam Yasovsky foi diagnosticado com uma alergia a ovos, gergelim e leite. Desde então, comer em casas de outras pessoas ou em restaurantes tem sido um desafio permanente. Tanto é assim que Yasovsky precisa levar sua própria comida a todos os lugares ou pedir detalhes dos ingredientes para saber quais pratos não o colocarão em risco.

Seu pai Alon, pesquisador e agora também empreendedor, descobriu que cerca de 250 milhões de pessoas em todo o mundo – 8% das crianças e 4% dos adultos – têm alergias alimentares. Só nos EUA, a alergia alimentar causa um choque anafilático a cada seis minutos. Às vezes, esses incidentes são fatais.

A SensoGenic desenvolveu um biossensor de alérgenos alimentares digitais para os consumidores. Este é o único dispositivo do gênero capaz de detectar e identificar os alérgenos mais comuns (leite, ovos, amendoim, nozes, trigo, soja, peixe e marisco) com apenas uma única amostra do alimento, que, para análise, deve ser colocado em uma almofada descartável, onde é examinado pela unidade biossensora.

O dispositivo SensoGenic usa uma nanotecnologia patenteada para detectar proteínas específicas que causam alergias em um nível de 10 partes por milhão (ppm), considerado o menor nível de reação adversa. Os usuários recebem o resultado em seu smartphone por meio de um aplicativo especial.

Planejada para ser vendida online e depois em cadeias de restaurantes por meio de parceiros de distribuição global, a unidade de biossensores – que não exige aprovação regulatória – custará cerca de US$ 200 e os test pads descartáveis custarão menos um dólar cada.

A pesquisa inovadora por trás da tecnologia da SensoGenic vem do pioneiro da nanotecnologia e empreendedor israelense Professor Oded Shoseyov, da Universidade Hebraica de Jerusalém, e seu irmão, o Dr. David Shoseyov.

Recentemente, a SensoGenic recebeu o subsídio “Horizonte 2020” – cerca de 50.000 euros da União Europeia – e fez parte do Programa de Liderança do Instituto Merage, que ajuda empresas emergentes em Israel orientadas para a ciência e a medicina a chegar ao mercado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *