Soldados judeus alemães receberão apoio espiritual

A ministra da Defesa da Alemanha, Ursula von der Leyen, anunciou que os soldados judeus na Bundeswehr receberão apoio e orientação espiritual.
As forças militares alemãs, a Bundeswehr, indicarão vários rabinos como capelães pela 1ª vez em mais de 100 anos, revelou o Ministério da Defesa alemão. Para isso, autoridades e o Conselho Central de Judeus na Alemanha devem negociar um tratado, semelhante ao dos capelães militares, representando igrejas na Bundeswehr.

A ministra da Defesa classificou o movimento como um “sinal importante”. Segundo ela, soldados judeus e muçulmanos também anseiam por orientação espiritual “especialmente em tempos de antissemitismo, a polarização religiosa e a mentalidade estreita estão aumentando localmente”.

O Presidente do Conselho Central dos Judeus, Josef Schuster acolheu o projeto e disse que a nomeação de rabinos militares é um sinal da crescente confiança da comunidade judaica na Bundeswehr como parte de nossa sociedade democrática.

O Ministério da Defesa vem examinando a possibilidade de nomear rabinos e imãs militares por sete anos, embora os soldados já tivessem a possibilidade de recorrer a rabinos e imãs fora das forças militares.

A tarefa de atender à demanda por capelães muçulmanos é mais complicada do que com os rabinos, já que não existe uma instituição muçulmana central que possa chegar a um acordo com o Bundeswehr. O plano atual sugere que os clérigos muçulmanos devem estar legalmente vinculados por “contratos provisórios”.

O Ministério da Defesa estima que cerca da metade tenha feito isso. Segundo o ministério, há aproximadamente 300 alistados judeus, cerca de 3.000 muçulmanos, 41.000 católicos e 53.000 protestantes. Os soldados alemães não são obrigados a identificar sua religião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *