Cepa de propagação rápida pode chegar a Israel

Especialistas em COVID-19 em todo o mundo estão observando com preocupação a subvariante XBB.1.5, que se espalha rapidamente pelos Estados Unidos.

Ainda não há casos confirmados em Israel, mas cerca de 41% dos casos americanos agora são classificados como XBB.1.5, dobrando o número de diagnósticos em apenas uma semana, tornando a cepa dominante. Com o número significativo de viagens entre os EUA e Israel, espera-se que seja apenas uma questão de tempo até chegar à Terra Santa.

Se isso acontecer, pode abalar a relativa calma do COVID que o país está desfrutando agora, com cerca de 1.000 novos casos confirmados por dia e queda de mortes e casos graves.

Nada como XBB.1.5 foi visto desde o final de 2021, de acordo com o imunologista Dr. Yariv Wine, da Universidade de Tel Aviv.

“Parece estar se espalhando mais rapidamente do que qualquer outra variante desde que o Omicron surgiu em novembro de 2021 e se espalhou rapidamente no início de 2022”, comentou Wine. “Os virologistas estão chamando de ‘uma variante infernal’ porque é muito transmissível”.

XBB.1.5, que é mutante da cepa Omicron original, parece estar se espalhando mais rápido do que outros porque se liga mais facilmente às células humanas.

LEIA TAMBÉM

“Uma mutação no vírus está localizada no local onde ele se liga às células humanas”, disse Wine. “Para infectar humanos de forma eficaz, o vírus precisa se ligar às células, e o XBB.1.5 parece fazer isso com muita força”.

No entanto, disse que a sua capacidade de propagação pode ser exagerada pelas estatísticas mais recentes dos EUA, uma vez que seguem uma época de confraternizações e festas natalícias em que o contato social é maior que o normal.

Não há indicações de que a variante seja mais grave do que outras ou que apresente sintomas diferentes, disse Wine, acrescentando: “Na verdade, temos o kit de ferramentas para lidar com isso, na forma de vacinas bivalentes”.

Essas são as vacinas que foram ajustadas para responder melhor às variantes posteriores, disponíveis em muitos países, incluindo Israel.

O New England Journal of Medicine publicou recentemente uma nota de pesquisa, concluindo que, em comparação com as pessoas que receberam vacinas regulares, “as pessoas que receberam o reforço bivalente contendo BA.5 tiveram melhor atividade neutralizante contra todas as subvariantes Omicron”.

Wine disse: “Há indícios de que o reforço bivalente oferece melhor proteção contra todas as subvariantes Omicron. E embora ainda não saibamos o quão bem ele se sai em relação à variante mais recente, pelo que sabemos até agora, não há razão para pensar que será diferente”.

Não se espera que as vacinas interrompam a infecção, mas sim que limitem a gravidade.

“Como tal, se as pessoas vulneráveis ​​não receberam o reforço nos últimos quatro meses ou mais, recomenda-se que recebam o reforço bivalente”, disse Wine. “Isso pode reduzir o número de casos graves.”

Fonte: The Times of Israel
Foto: Canva

One thought on “Cepa de propagação rápida pode chegar a Israel

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *