Descoberta mostra aliá antes do Holocausto

Nos restos da sinagoga destruída pelos nazistas, os arqueólogos encontraram uma placa do século 18 descrevendo os moradores judeus de Vilna viajando para a Terra Santa.

Líderes da comunidade judaica na Lituânia anunciaram a descoberta de uma placa comemorativa do século XVIII contendo inscrições em hebraico que detalham as viagens feitas pelos residentes judeus de Vilna à Terra Santa na época. A placa de pedra foi descoberta em um porão abaixo da Grande Sinagoga de Vilna, o principal santuário judeu da Lituânia, antes de ser destruída pelos regimes nazista e soviético.

“Em 1776 subimos com alegria ao nosso país (Eretz Israel)”, diz parte da inscrição.

“Foi uma grande surpresa”, disse Faina Kukliansky, líder da comunidade judaica da Lituânia. “Os arqueólogos começaram a chorar quando falaram sobre essas descobertas “, acrescentou ela. “Eles são de significado global”.

A sinagoga de Vilna, datada da década de 1630, foi o santuário mais importante da outrora vibrante comunidade judaica da Lituânia.

No ano passado, arqueólogos anunciaram que haviam descoberto a bimah da sinagoga – o pódio de uma sinagoga da qual a Torá é lida. A placa foi descoberta mais tarde em um porão abaixo da bimah.

Antes do Holocausto, Vilna atraiu escritores e eruditos falantes de iídiche, ganhando o título de “Jerusalém do Norte”. A comunidade judaica de 60.000 habitantes representava cerca de um terço dos habitantes da cidade, mas a maioria pereceu durante a ocupação de 1941-1944 da Alemanha nazista.

Os nazistas queimaram o santuário e os restos foram posteriormente demolidos pelo regime soviético que construiu um jardim de infância, mais tarde transformado na escola primária.

A pequena comunidade judaica da Lituânia agora conta com cerca de 3.000 pessoas em uma população total de 2,9 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *