Quarentena maior para portadores de Omicron

Portadores confirmados da variante Omicron COVID-19 serão obrigados a quarentena por 14 dias, em vez dos 10 dias exigidos para portadores confirmados de outras cepas de coronavírus, disse o Ministério da Saúde na quarta-feira.

A nova política entrará em vigor na quinta-feira.

Os portadores do Omicron confirmados terão de ficar assintomáticos nos últimos três dias do período de duas semanas para receber um certificado de recuperação do vírus, disse o Ministério da Saúde.

“Esta atualização está sendo aplicada devido à suspeita de que portadores verificados da variante Omicron podem ser contagiosos por um período mais longo do que o observado em casos de outras variantes”, disse o comunicado.

Se alguém é “altamente suspeito” de ter a variante, mas não confirmado por testes, ele pode sair da quarentena após 10 dias com permissão especial, disse o Ministério da Saúde.

O número de casos de COVID-19 confirmados na terça-feira foi o maior em seis semanas, com crianças respondendo por mais da metade dos diagnósticos, segundo dados do Ministério da Saúde divulgados nesta quarta-feira.

Houve 794 novos casos na terça-feira, o terceiro dia consecutivo em que o número subiu. A última vez que os números foram tão altos foi em 25 de outubro, quando 929 novos pacientes foram diagnosticados.

A taxa de teste positivo para o vírus foi de 0,75 por cento na terça-feira, a maior em duas semanas.

Além disso, o número de reprodução do vírus, R, era 1,07, tendo subido continuamente de 1 nos últimos quatro dias. Qualquer valor acima de 1 significa que cada pessoa com o vírus infecta, em média, mais de uma pessoa, o que significa que as infecções estão se espalhando.

O aumento de casos ocorreu quando Israel, junto com o resto do mundo, luta contra a disseminação da nova variante Omicron, que se acredita ser altamente contagiosa. Até agora, pelo menos 21 casos foram confirmados em Israel.

O surgimento do Omicron, detectado pela primeira vez na África do Sul, gerou proibições de viagens globais e levou Israel a fechar novamente suas portas para a maioria dos estrangeiros. O governo também reforçou as regras de quarentena para israelenses totalmente vacinados que retornam ao país.

Fonte: Times of Israel

Foto: Revista Bras.il