Duas semanas para as eleições para a 25ª Knesset

A campanha eleitoral para a 25ª Knesset está chegando à reta final. Mais de 6 milhões de israelenses poderão votar nas eleições de 1º de novembro.

As últimas pesquisas preveem uma eleição acirrada. De acordo com a média dos resultados das pesquisas eleitorais realizadas pelo site “The Index”, que centraliza e analisa pesquisas de opinião pública em Israel, em 18 de outubro, o bloco de partidos que apoia o presidente do Likud, Benjamin Netanyahu (Likud, Judaísmo Unido da Torá, Shas e Sionismo Religioso) conquistaria em média 60 assentos, enquanto os partidos que compõem o atual governo (Yesh Atid, Trabalhista, Campo Estadual, Ra’am, Meretz e Yisrael Beitenu) teriam 56 assentos. O bloco Hadas-Taal ganharia 4 assentos, e o partido Balad permaneceria fora da Knesset.

Se estes forem os verdadeiros resultados, ambos os blocos terão dificuldade em formar um governo, a menos que um dos partidos, ou alguns dos membros da Knesset, apoiem o candidato do bloco com o qual não se identificam.

Novos partidos, incluindo o Lar Judaico liderado por Ayelet Shaked, o Partido Econômico liderado por Yaron Zelicha, o partido jovem, liderado por Hadar Mokhtar, Liberdade Econômica liderado por Abir Kara e Israel Democrático Livre liderado por Eli Avidar, não passariam a porcentagem de bloqueio segundo as sondagens.

Segundo a Comissão Eleitoral Central, nas próximas eleições haverá 6.788.804 eleitores aptos, um aumento de 210.270 eleitores aptos desde as eleições para a 24ª (atual) Knesset, que se realizaram em março de 2021. O “valor” de um assento na Knesset é determinado pelo número de votos para os partidos que passaram a porcentagem limite (3,25% dos votos válidos) dividido por 120. Ou seja, não depende apenas do número de eleitores, mas do número de eleitores votantes, o que não é conhecido até o dia das eleições.

Nas eleições para a 24ª Knesset, o valor do assento foi de 36.210 votos. Um número aproximado pode ser obtido a partir disso: supondo que a taxa de comparecimento seja semelhante às eleições para a 24ª Knesset (67,44%), e que a porcentagem de votos para os partidos que passaram a porcentagem de obstrução do número total de votos válidos seja semelhante, é possível adicionar ao valor do mandato nas eleições anteriores o aumento relativo do número de votantes (3,1%), ou seja, o valor do assento é estimado em 37.333 votos.

LEIA TAMBÉM

Com o mesmo método, pode-se estimar o número de votos necessários para passar o percentual de bloqueio. Nas eleições para a 24a Knesset, foram necessários 143.327 votos para passar do limiar e entrar na Knesset. Dada uma taxa semelhante de votação e uma taxa semelhante de votos válidos do número total de votos, e com a adição do aumento relativo no número daqueles com direito a voto, 147.775 votos seriam necessários para passar o percentual de bloqueio.

A lei estabelece que o dia da eleição é um feriado em que os empregados não podem ser obrigados a trabalhar, exceto aqueles em locais de trabalho essenciais, como usinas de água e eletricidade, abastecimento de combustível, fábricas que operam continuamente, tribunais, sistema de saúde, locais de entretenimento e comércio ativo durante o dia das eleições. A lista completa de locais de trabalho que podem funcionar no dia da eleição está no site Kol Zchut.

No dia da eleição, não haverá aulas nas escolas, jardins de infância, creches e instituições de ensino superior. Quem trabalha no dia da eleição tem direito a um salário de 200% do seu salário normal, ou a um dia de férias. De qualquer forma, todo empregador deve permitir a saída de todos os funcionários que desejem ir votar.

Todos aqueles que tenham direito de voto devem receber uma notificação com o local de votação. Se a notificação não for recebida, o eleitor pode encontrar o local da votação no site criado pelo Ministério do Interior. Outra opção para saber onde votar é um call center aberto pelo Ministério, cujo número é 1-800-222-290. Para se identificar, deve-se informar o número da identidade (teudat zehut) e sua data de emissão (que consta na própria identidade).

A maioria dos locais de voto estarão abertas das 7h às 22h, mas nas pequenas comunidades o horário de funcionamento será das 8h às 20h. Uma lista desses locais de voto está no site da Comissão Eleitoral Central.

A lei define uma série de grupos de eleitores que têm direito a votar em uma urna diferente daquela a que pertencem. Essa votação é feita com envelope duplo, ou seja, o envelope com a cédula é colocado em outro envelope com os dados de identificação do eleitor e é entregue a um centro de contagem da Comissão Eleitoral Central em Jerusalém. Lá, após a verificação dos dados do eleitor no envelope externo, ele será aberto e contado com os demais votos.

Votar nas seções de voto especiais

Pessoas com mobilidade reduzida podem votar em qualquer local de votação definido como “sessão de voto especial para pessoas com mobilidade reduzida”. A lista completa está no site da Comissão Eleitoral Central.

Pacientes internados e trabalhadores em hospitais e instituições assistenciais podem votar nas urnas que serão colocadas em todos os hospitais e instituições de grande porte, mediante aprovação da direção da instituição.

Residentes em lares de idosos: em todos os asilos ou residências de idosos onde vivem mais de 75 pessoas, será colocada uma urna onde os residentes terão direito a voto.

Detidos, reclusos e guardas prisionais poderão votar nas urnas que serão colocadas nas prisões e centros de detenção.

Os servidores regulares, permanentes e de reserva das FDI poderão votar nas urnas que serão colocadas nas diversas bases.

Policiais e funcionários do Shin Bet podem votar em qualquer local de voto em Israel, sujeito à apresentação de um documento de identidade de policial ou uma autorização especial de votação da Comissão Eleitoral.

Os representantes de Israel no exterior – funcionários de consulados, embaixadas, representantes de ministérios do governo e representantes da Agência Judaica – poderão votar em 103 locais de voto que serão colocadas nas embaixadas de Israel no exterior.

Os secretários das seções eleitorais, membros da mesa e observadores poderão votar na seção de voto onde trabalham.

Transporte público no dia da eleição

As viagens nas linhas de ônibus intermunicipais (acima de 15 km) no dia da eleição, 1º de novembro, serão gratuitas. As viagens nas linhas da cidade serão cobradas. As viagens nas linhas de Eilat exigem inscrição prévia no centro nacional de informações “Egged”  nos telefones 03 -6948888 ou *2800.

As viagens de trem para os eleitores serão gratuitas a partir de segunda-feira, 31 de outubro, às 20h, sujeitas a um bilhete de viagem exclusivo nas bilheterias ou máquinas de bilhetes de trem.

Prazos

As eleições serão realizadas na terça-feira, 1º de novembro. O prazo para a publicação dos resultados é 9 de novembro, e o presidente Herzog terá que atribuir o direito de formar um governo ao candidato com maior chance de fazê-lo até 16 de novembro, o mais tardar (uma semana a partir da publicação dos resultados).

O prazo para formar um governo é de 28 dias, com possibilidade de prorrogação por mais 14 dias. Se o candidato não for bem sucedido, o presidente pode passar o direito a outro candidato por 28 dias (sem prorrogação). Finalmente, haverá 21 dias adicionais em que qualquer deputado que receber o apoio de 61 parlamentares poderá formar um governo. Se todas as prorrogações forem usadas e nenhum governo for formado, em 15 de fevereiro de 2023, outra eleição será anunciada em 90 dias, e provavelmente será realizada em 16 de maio. Até que um novo governo seja formado, o governo em Israel será um governo de transição liderado pelo atual primeiro-ministro, Yair Lapid.

Fonte: Davar
Foto: Wikimedia Commons

One thought on “Duas semanas para as eleições para a 25ª Knesset

Fechado para comentários.