Enormes filas na reabertura dos centros comerciais

Na manhã seguinte à confirmação da reabertura, centenas de clientes foram esta manhã (terça-feira) aos centros comerciais abertos. Em alguns dos centros formaram-se filas enormes, sem observância das regras de distância social, exigindo intervenção policial. Ao mesmo tempo, os empresários deram um suspiro de alívio após dois meses em que foram forçados a fechar suas lojas.

Um dos locais onde as filas foram particularmente grandes foi o “Big” nas Krayot. Dezenas de clientes aguardavam na entrada da loja da Nike no complexo, antes das 10h. A abertura não reduziu a pressão. Pelo contrário. Mais e mais compradores vinham e se aglomeravam nas portas das lojas. Veja imagens aqui.

Policiais de Zevulun foram chamados e anunciaram que seriam forçados a fechar a loja se os fregueses na entrada não seguissem as recomendação da Corona. “Eles estão certos, fecharemos mais dez vezes assim”, disse uma cliente a Walla. A superlotação ao redor da filial levou os clientes a procurar outras alternativas no complexo. “Não é normal, o que está queimando nas pessoas para passear e comprar sapatos?”, ela se perguntou.

Por outro lado, os empresários estão entusiasmados com a abertura das lojas após dois meses de fechamento. Eliran Suissa, dona da loja de brinquedos “Idan 2000” no Big de Kiryat Gat, voltou à sua loja esta manhã. “Sinto a felicidade suprema”, disse ele a Walla!. “Ainda estamos no início e o Big já está cheio de gente. Adequamos a loja, atendemos os padrões, fico feliz em ver gente antes de tudo”.

Suissa acrescentou que ainda não reintegrou todos os seus funcionários em férias não remuneradas. “Espero muito que não haja mais fechamento, caso contrário não vai ter adiantado nada, e seria melhor que nos deixassem fechados”, disse. “Espero que as pessoas tenham consciência e sigam as diretrizes. Se todos fizerem o que querem, voltaremos para lá.”

Shuk Carmel em Tel Aviv abre em protesto

Com a abertura de negócios nos grandes complexos, donos das barracas no Shuk Carmel em Tel Aviv protestaram esta manhã contra a decisão do Gabinete Corona, que determinou que permanecessem fechados. Alguns deles voltaram ao mercado e abriram as barracas ilegalmente. Em resposta, os fiscais que chegaram ao local e aplicaram multas aos comerciantes.

“Por que não podemos trabalhar? Quanto tempo podemos ficar em casa?”, disse um dos donos de barraca com lágrimas nos olhos. “Que o dinheiro vá para o inferno, não é o dinheiro. Estamos enlouquecendo em casa. Coloquei a loja à venda porque quero ir embora. Não tenho forças. Já estou com 71 anos e estou sem energia.”

Foto: https://www.bigcenters.co.il/

One thought on “Enormes filas na reabertura dos centros comerciais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *