Ensino do Holocausto em Marrocos

Na última semana o site de notícias marroquino Le Desk informou que o Rei Mohammed VI ordenou a incorporação de estudos sobre o Holocausto no programa educacional do país. Segundo o líder marroquino a negação do antissemitismo e do Holocausto está aumentando no Ocidente e a educação sobre o Holocausto nas escolas marroquinas tem como objetivo combater o antissemitismo.

De acordo com Le Desk, já em 2008, a necessidade de revisar o conteúdo religioso dos manuais escolares para incluir a história judaica de Marrocos e a educação sobre o Holocausto havia sido reconhecida, mas pouco havia sido alcançado na prática.

Em 2016, foi assinado um acordo de associação entre os Arquivos de Marrocos e o Centro Memorial do Holocausto na França para estabelecer “cooperação em todos os assuntos relacionados à história dos judeus e do judaísmo nos países do Norte da África, em pesquisa e intercâmbio de arquivos e eventos culturais e científicos “, citou Le Desk.

Em 2017, o Marrocos aprovou uma proposta para trabalhar com o Memorial do Holocausto dos EUA para educar sobre o Holocausto e combater a intolerância.

Em abril deste ano, a princesa Lalla enfatizou o compromisso de seu país com a história judaica em uma carta à comunidade judaica marroquina em Nova York.

“A herança judaica de Marrocos continua sendo parte integrante de nossas vidas e do que somos. Sua Majestade, o Rei Mohammed VI, está comprometido em seguir os passos de seus ancestrais e não poupar esforços para preservar essa herança comum”, diz a carta. “É, portanto, uma fonte de orgulho e alegria testemunhar a defesa das tradições judaicas marroquinas além de nossas fronteiras”.

Israel não é oficialmente reconhecido por Rabat, em consonância com um boicote mais amplo da Liga Árabe. No entanto, relatos de relações informais entre os dois países têm acontecido por anos, especialmente entre seus serviços de segurança.

Ao contrário da maioria dos países árabes da região, os israelenses podem visitar o Marrocos em determinadas épocas do ano, caso obtenham um visto de viagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *