Escola desenvolve robô para proteger médicos

O clube de robótica de uma escola de ensino médio de Haifa se uniu a engenheiros do Instituto de Tecnologia Technion e desenvolveu um robô que ajudará os médicos a manter distância de pacientes infectados por coronavírus.

O CoRobot é um carrinho de serviço por controle remoto que permite que remédios e alimentos sejam entregues a pacientes sem a presença de outra pessoa, como também pode ser usado para transportar equipamentos de uma ala para outra.

O CoRobot pode ser controlado remotamente pela equipe médica, usando um joystick ou um aplicativo para smartphone, que também pode ver o que está acontecendo por meio da câmera de vídeo conectada ao robô.

Embora o país tenha dezenas de milhares de trabalhadores médicos, as autoridades de saúde estão preocupadas com o fato de a exposição contínua a pacientes infectados colocar muitas pessoas em quarentena de proteção.

O chefe do Hospital Rambam, Dr. Michael Halberthal, mencionou o problema de proteger os funcionários contra infecções, enquanto realizam tarefas rotineiras, durante uma reunião com o colega Dr. Rafi Beyar, ex-diretor do hospital e professor de engenharia biomédica no Technion. Beyar sugeriu oferecer o desafio ao programa de robótica Galaxia na Reali High School de Haifa, onde os alunos são orientados pelos engenheiros da Technion.

“Se o robô for instalado com sucesso no Rambam, em um período relativamente curto, poderemos construir mais robôs para outros hospitais israelenses”, disse o professor Alon Wolf, vice-presidente do Technion.

Alon Wolf também é um especialista em robótica e lidera o projeto FIRST. A FIRST é uma organização educacional internacional que utiliza competições de robótica para promover o empreendedorismo e o aprendizado entre os jovens.

O professor Gil Yudilevitch, do Technion, que lidera o programa de robótica Reali, acrescentou que: “Para a próxima etapa, o robô integrará um sistema de comunicação que incluirá uma tela, uma câmera, um microfone e um alto-falante, e poderá se mover de um paciente para outro, transmitindo informações para a equipe médica em tempo real. Espero que, no futuro, adicionemos recursos que ajudarão no tratamento, como sensores que monitoram os níveis de oxigênio no sangue e no pulso dos pacientes”.

One thought on “Escola desenvolve robô para proteger médicos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *