Israel deve suspender uso de máscara em 15/6

O Ministério da Saúde anunciou neste domingo que a exigência de uso de máscaras em ambientes fechados será suspensa em 15 de junho, marcando o fim de uma das únicas restrições importantes ao coronavírus remanescentes em Israel.

Por enquanto, as escolas serão excluídas da flexibilização das limitações, devendo as crianças ainda usar máscaras nas aulas, uma vez que a maioria dos menores de 16 anos ainda não foi vacinada.

O ministério disse que, se a tendência de queda na morbidade continuar e a campanha para vacinar jovens de 12 a 15 anos, que começou no domingo, tiver sucesso, haverá outra discussão para considerar a retirada da máscara também nas escolas.

A decisão se estenderá ao Aeroporto Ben Gurion, embora os viajantes continuem enfrentando outras restrições e as companhias aéreas possam exigir máscaras nos seus aviões. O Ministério da Saúde também continuará atualizando sua lista de países vermelhos dos quais os viajantes que retornarem deverão ficar em quarentena por 10 dias.

Ao anunciar a decisão em uma cerimônia governamental, no domingo, reconhecendo os esforços dos profissionais de saúde durante a pandemia, o Ministro da Saúde Yuli Edelstein disse: “No auge da morbidade, cinco meses atrás, havia mais de 10.000 casos por dia; ontem, houve apenas quatro casos”.

LEIA TAMBÉM
Todos os quatro casos com resultado positivo foram de viajantes que retornaram do exterior e estão em quarentena desde a chegada.

“No auge da pandemia, os hospitais estavam absurdamente lotados de pacientes com coronavírus e tínhamos 1.228 pacientes gravemente enfermos”, continuou Edelstein. “A taxa de morbidade desde então caiu milagrosamente. No pico da pandemia, 10% dos testes deram positivo. Hoje, estamos nos aproximando de um décimo de um por cento. ”

Também discursou na cerimônia o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu.

“Eu olho para o público e posso declarar: é assim que se parece uma imagem de vitória. Centenas de israelenses sentados juntos, felizes e sorrindo juntos”, disse ele.

“A vitória de Israel foi alcançada graças a duas razões fundamentais: os milhões de vacinas que trouxemos para Israel e sua rápida distribuição aos cidadãos israelenses”, acrescentou o primeiro-ministro.

Netanyahu reconheceu que esses vírus podem muito bem voltar um dia. “É por isso que queremos estabelecer uma fábrica de vacinas em Israel no futuro”.

No domingo, Israel deu início à campanha de vacinação para crianças de 12 a 15 anos, depois que a Food and Drug Administration dos EUA aprovou a vacina Pfizer-BioNTech para essa faixa etária.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Agência Brasília, CC BY 2.0, via Wikimedia Commons