Israel é quem mais envia de pesquisadores aos EUA

Israel enviou aos Estados Unidos uma proporção maior de pesquisadores acadêmicos em comparação com qualquer outro país, em relação ao tamanho da população nacional, de acordo com uma pesquisa do Departamento de Estado dos EUA. O número de pesquisadores israelenses trabalhando nos Estados Unidos chegou a 1.725 em 2017, um aumento de 5,6% em relação ao ano anterior, segundo o portal de dados Portas Abertas do Instituto de Educação Internacional do Departamento de Estado dos EUA. 

O escopo do talento acadêmico é demonstrado pelo fato de que o número é igual a todo o corpo docente de duas a três instituições de ensino superior israelenses típicas, e 625 a mais do que todo o corpo docente maior em Israel: a Universidade de Tel Aviv.

A pesquisa consiste em pessoas que realizam atividades acadêmicas preliminares e não se matriculam como estudantes em faculdades e universidades americanas. Nem consistem em pessoas que trabalham em tempo integral no ensino ou na pesquisa de negócios.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *