Israel teme nova onda de COVID e gripe

O Ministério da Saúde de Israel, preocupado com a possibilidade real de uma nova onda de COVID-19 combinada com a ameaça da gripe nas próximas semanas e meses, adquiriu a nova vacina da Pfizer adequada à variante Omicron.

O anúncio foi feito nesta quarta-feira pelo responsável do gabinete do COVID-19, Prof. Salman Zarka, em uma coletiva de imprensa.

As indicações da Austrália e da Nova Zelândia, que agora estão terminando o inverno, são que o COVID-19 e a gripe são uma combinação perigosa.

O reforço estará disponível em breve a partir dos quatro fundos públicos de saúde, especialmente para aqueles de alto risco (idosos e pessoas com doenças crônicas em qualquer idade) mas outros também poderão receber a vacina, disse Zarka.

A vacina está disponível em duas doses, uma para Omicron e outra para a gripe, disse Zarka. Elas não são combinados em uma única aplicação.

A vacina contra a gripe é recomendada para todos com idade superior a seis meses, independentemente de sua condição médica.

LEIA TAMBÉM

Zarka pediu que as pessoas usem máscaras voluntariamente em lugares lotados, incluindo ônibus e trens, nas sinagogas e em outros lugares, nos próximos meses. Zarka também aconselhou fazer testes de antígeno antes de passar algum tempo em eventos familiares durante os Dias Sagrados e outros eventos do calendário judaico do mês de Elul, especialmente se pessoas de alto risco estiverem presentes.

O ministério notou um aumento na doença entre crianças em idade escolar. “Não envie crianças com sintomas respiratórios e outros sinais de mal-estar para a escola. O mesmo vale para adultos que não devem trabalhar se estiverem doentes para não infectar outras pessoas”, disse Zarka.

De acordo com o boletim online do ministério, 1.188 pessoas testadas deram positivo para COVID-19, mas provavelmente há muito mais porque poucas pessoas estão fazendo o teste, disse Zarka. 49 pacientes estão em estado crítico e 16 em estado moderado, com 44 conectados a um respirador. Duas pessoas morreram de complicações durante a semana passada. No total, 11.667 morreram de COVID-19 em Israel desde que a pandemia começou há mais de dois anos e meio.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: Canva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.