Kits de teste rápido de COVID à venda esta semana

Os kits de teste rápido de COVID são a mais recente ferramenta a ser adotada por Israel contra a pandemia de coronavírus e são parte de um programa piloto anunciado pelo governo.

Os testes caseiros, usados ​​por muitos países como uma primeira linha de defesa contra o vírus, geralmente não são considerados como tendo a precisão dos testes realizados por profissionais treinados. O teste atual para coronavírus requer esfregaços nasais e da garganta para coletar muco e saliva, que são então testados para confirmar a infecção, se houver.

As autoridades de saúde esperam que o público use os testes antes de visitar os idosos ou imunocomprometidos, bem como para as crianças que frequentam escolas e acampamentos diurnos.

No entanto, um membro do painel do Ministério da Saúde que tem aconselhado o governo sobre as vacinações de COVID-19 disse, no domingo, que faria mais sentido que os testes fossem realizados por escolas, em vez de famílias.

“Seria preferível implantar o teste rápido nas escolas”, disse a professora Galia Rahav, do Centro Médico Sheba. “Faz mais sentido fazê-lo na entrada das instituições de ensino, do que impor às famílias.”

Também se espera que testes rápidos sejam implantados na entrada de grandes eventos, onde os não vacinados precisarão mostrar um resultado de teste negativo a fim de obter acesso ao sistema “Passe de festa” para casamentos e outros grandes eventos internos.

LEIA TAMBÉM

O plano, que está previsto para entrar em vigor em 21 de julho, vai limitar as grandes aglomerações a quem estiver vacinado, recuperado ou apresentar um teste COVID negativo. Ainda não está claro quem pagaria pelos testes, ou se eles seriam subsidiados.

A Rádio do Exército informou, no domingo, que as autoridades de saúde não estavam satisfeitas com o plano, pedindo, em vez disso, a reintrodução imediata do certificado de vacinação do Passaporte verde, o que mais uma vez limitaria a participação em apresentações, restaurantes, hotéis e academias, dado o aumento contínuo de novos casos de coronavírus.

Os últimos dados do Ministério da Saúde, no sábado, mostraram que novos casos de coronavírus totalizaram mais de 1.000 na sexta-feira, pela primeira vez em quase quatro meses.

Galia Rahav disse, no domingo, que 60 a 70% dos hospitalizados em estado grave foram totalmente vacinados, mas muitos eram mais velhos e muitos deles tinham problemas médicos pré-existentes graves.

Eran Segal, outro especialista em saúde que assessora o governo em sua resposta à pandemia, tuitou no sábado que, enquanto os números de infecção estão aumentando, o número de novos casos graves por dia continua muito menor do que em surtos anteriores, após a implementação da vacinação em massa no país.

Nesta semana, a fiscalização da aplicação das regras de uso de máscaras deverá ser intensificada em todo o país, com os fiscais municipais mais uma vez se espalhando em shoppings e outros locais fechados para multar as pessoas sem máscara. Haverá também um maior controle da quarentena para aqueles que são obrigados a se isolar.

Em uma entrevista ao Canal 13, no sábado, o ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, disse acreditar que as ações tomadas pelo governo até agora foram insuficientes.

“Estamos vendo um aumento nas infecções e casos graves… O que estamos esperando? Ter milhares de casos por dia? Centenas em estado grave? Para os hospitais encherem? Precisamos parar de jogar”.

O novo diretor-geral do Ministério da Saúde, Nachman Ash, disse no sábado que não acredita que haverá outro bloqueio por coronavírus, mas não pode descartar a possibilidade.

“Tudo pode acontecer, mas não queremos chegar a uma situação de bloqueio”, disse ele ao Canal 12.

Ele exortou o público a seguir as regras de saúde para ajudar a conter as infecções.

Fonte: The Times of Israel
FotodronepicrCC BY 2.0 (Wikimedia Commons). Imagem ilustrativa

One thought on “Kits de teste rápido de COVID à venda esta semana

Fechado para comentários.