Novo aplicativo de pagamento do transporte público

No final de junho, novos aplicativos de pagamento para o transporte público serão lançados em Israel. Administrados por três empresas privadas, serão outra opção para usuários de transporte público, juntamente com o cartão Rav Kav, com o qual o pagamento é feito hoje. O objetivo do uso do aplicativo é simplificar o pagamento no transporte público e permitir que os usuários paguem por viagens realizadas, sem comprar os pacotes de viagem com antecedência. Os passageiros pagarão por cada viagem individualmente e, no final do mês, o aplicativo analisará retrospectivamente as rotas feitas e selecionará o pacote mais barato.

Os novos aplicativos eliminam as premissas existentes sobre o uso do cartão Rav Kav – o valor armazenado (erech tzavur), e os contratos para uso livre mensal (chofshi chodshi) ou diário (chofshi yomi). Os beneficiários de descontos qualificados como idosos, estudantes e adolescentes também poderão aproveitar o desconto no aplicativo. Os passageiros não terão certeza no início sobre o valor do pagamento a ser cobrado no final do mês e, em alguns casos, o pagamento no aplicativo poderá até ser superior ao uso do Rav Kav.

O novo método de pagamento no aplicativo é “retroativo” e não existe em outros países – é um modelo exclusivo para Israel. Incluirá seis tarifas diferentes e o preço será calculado com base no raio da viagem. O pagamento é de uma viagem única, até o teto diário de acordo com o circuito e de acordo com os meios de transporte – se a viagem for feita apenas de ônibus ou de trem. Os passageiros não podem saber com antecedência qual é o valor da viagem e se a melhor opção é continuar usando o Rav Kav. É um método de cálculo que simplifica os processos para os aplicativos e para o Ministério dos Transportes por ser totalmente eletrônico, mas os cidadãos que desejam segurança quanto ao pagamento podem encontrar dificuldades e precisam lidar com cálculos complicados.

Descontos, dependendo do uso

O Ministério dos Transportes não está pressionando o público a usar o aplicativo, mas quer permitir outra opção de pagamento. O pagamento em si e a viabilidade dependem exclusivamente do perfil de uso de cada pessoa. Ao contrário do método do Rav Kav, em que os usuários desfrutam de um valor adicional de 25% sobre os valores armazenados no cartão (mínimo de 30NIS, os descontos pagos nos aplicativos começam apenas com valores de uso superiores a 200 NIS. Para alguns usuários regulares, ainda será mais barato continuar usando o cartão Rav Kav, por exemplo, em viagens internas dentro de cidades periféricas, onde os preços são inferiores a 5,90 NIS

Outro exemplo de cálculo para os usuários dos contratos mensais. Uma pessoa que mora em Holon e trabalha em Tel Aviv pode comprar um passe mensal para o Rav Kav pelo uso do “Anel 1” a um custo de 213 NIS usando 22 dias por mês o transporte público, pagará 215 NIS pelo aplicativo. Mas se, durante o mês, a pessoa viajou menos, por exemplo, devido a uma licença médica, o uso do aplicativo será lucrativo e mais barato. Se uma pessoa viaja com Rav Kav de Tel Aviv para Herzliya, ela paga o 21,50 NIS usando o bilhete diário, mas pagará 16 NIS no aplicativo. O aplicativo nas situações certas “compra” para o cliente o bilhete mensal, reduzindo a cobrança e ajustando o cliente ao seu uso.

Descontos no aplicativo de pagamento

O método de precificação determina seis faixas de distância de viagem. Em uma viagem de até 15 km, os passageiros pagarão 5,90 NIS e, até 25 km, o pagamento será 10 NIS Uma viagem de até 15 km custará no máximo 13 NIS por um dia ou 16 NIS em uma viagem combinada com o trem (um bilhete diário gratuito em Gush Dan custa 13,5 NIS).

A tarifa por idade também mudará. O desconto para idosos será concedido a partir dos 62 anos de idade para mulheres e não 60, como é hoje, e os homens receberão o desconto a partir dos 67 anos, e não 65. Ou seja, o Ministério dos Transportes ajustará as taxas para a idade atual da aposentadoria (a mudança será aplicada a partir de fevereiro de 2021, mesmo em contratos com Rav Kav).

“Para pessoas que não têm Rav Kav ou não viajam regularmente, essa pode ser uma boa opção. Essa seria a solução ideal”, diz Shmaryth Notman, CEO da 15 Minutes, que promove o transporte público em Israel e incentiva a redução de veículos particulares. “Seria bom se o Departamento de Transportes criasse uma ferramenta para ajudar os viajantes a comparar o custo mensal do contrato com o pagamento que podem fazer com o aplicativo. Isso ajudaria os viajantes a decidir se querem ou não participar, poupando a frustração para os viajantes para os quais o aplicativo não é uma boa alternativa, e que levarão um mês inteiro e talvez mais para descobrir.”

Os padrões de viagem serão revelados

Os novos aplicativos de viagem serão operados por três empresas comerciais; Moovit, HopOn e Isracard. O Ministério dos Transportes não investiu dinheiro na oferta de pagamento por meio de aplicativos particulares, mas para as empresas essa é uma oportunidade para se estabelecer no mundo de pagamentos por aplicativos. Só em cerca de dois meses, um aplicativo da Autoridade de Transporte Público será lançado, o que pode ser inconveniente em relação à privacidade das informações dos passageiros, uma vez que as empresas poderão estudar seus padrões de viagem. Embora o Ministério dos Transportes proíba as empresas de negociar informações e vendê-las para anunciantes, estas podem usá-las para anunciar aos próprios clientes (os usuários podem optar por não receber informações publicitárias).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *