Novo Governo é formado

Por David S. Moran

O Estado de Israel é conhecido internacionalmente pelas boas e úteis invenções que beneficiam o mundo todo. Mas, na área da política, é melhor que não copiem esta invenção de governo formado por pessoas que até ontem eram violentos rivais, de partidos antagonistas, sem nenhum consentimento ideológico.

Após três eleições, cheias de ofensas pessoais e que criaram mal estar na população, aqueles rivais que se atacavam, repentinamente foram persuadidos pelo Primeiro Ministro em exercício a entrar na dança e receber cargos.

Enquanto o mundo todo ainda está abalado pelas consequências do coronavírus, Israel que tinha menos de 4% de desemprego, passou a ter 27% de desempregados. Companhias, restaurantes, lojas, que duramente foram construídas e alcançaram sucesso, da noite para o dia, ruíram. Mais de 1 milhão de israelenses, atualmente, estão desempregados. Os sortudos tiveram que deixar o emprego cumprindo férias não remuneradas.

Netanyahu conseguiu dividir o principal partido de oposição, Kachol Lavan, e o Partido Trabalhista incorporando parte deles ao governo. Não porque compartilha mesma ideologia, longe disso. É porque seus políticos querem as vantagens de ter regalias, de carros, gabinetes, etc.

Ccharge do Eran Volkovsky, Ha’Aretz, 13/5/2020. Netanyahu diz: “Pessoal, podem tirar as máscaras”.

O novo governo é o maior da história de Israel e terá 36 ministros e 16 vice-ministros. E para satisfazer a todos, foram criados ministérios que ninguém sabe do que se ocuparão. Ao mesmo tempo, para ministros que já haviam cumprido mandatos Netanyahu se viu obrigado a lhes dar novos ministérios, de maior prestígio. Foi inventado o sistema de meio mandato, isto é, por exemplo, a polêmica ministra da Cultura, Miri Regev, passa ao ministério dos Transportes, por 18 meses e depois será Ministra do Exterior, pelo visto sem saber inglês. O veterano político, Gilad Erdan, da Segurança Interna, queria continuar, mas Netanyahu o “exilou” para servir 18 meses como Embaixador na ONU e, ao mesmo tempo, lhe sinalizou que depois das eleições nos EUA, o atual embaixador retorna a Israel e assim, Erdan cumprirá esta missão até se completarem os 18 meses do governo Netanyahu e a transferência para Gantz (o que muitos duvidam). Se após os 18 meses de governo Gantz, Netanyahu retornar ao cargo, haverá nova troca e Erdan reassumirá os dois postos. Incrível, mas há magos que conseguem tudo.

Na Quinta (14), a instalação do novo governo deveria ocorrer as 13:00h, mas, diante das dificuldades, foi atrasada para as 22:00h e parece que vai ser reprogramado. Só para o leitor ter ideia das suspeitas de cada um: o atual speaker (presidente) da Knesset, Gantz, deve demitir-se do cargo quando o novo governo se formar e passar o cargo a um deputado do Likud. Diante dos atrasos, anunciou que não vai se demitir. No final convenceu-se de passar o cargo a Yariv Levin.

Caricatura de Yotam Fishbein, Yediot Ahronot, 14/5/2020

O atual ministro da Justiça, Amir Ohana, que foi nomeado para ajudar o Netanyahu, que será julgado, agora foi nomeado para ser o Ministro da Segurança Interna, que tem o controle da Polícia. Ex-altas patentes da polícia se manifestaram contra a nomeação. Dizem: “Ohana que conseguiu semear destruição no ministério da Justiça é nomeação política para salvar Netanyahu das acusações”. Vale a pena relembrar que há um ano e meio a polícia atua sem Comissionário, pelo visto como forma de pressão aos comandantes, que querem a nomeação.

Um deputado veterano na liderança do Likud, que ousou enfrentar o Netanyahu em eleições internas, Saar, evidentemente ficou fora das cogitações para receber um ministério.

Os dois deputados (de três) que foram eleitos pelo Avodá, inclusive Amir Peretz, que foi líder do partido e Ministro da Defesa, ferrenhos opositores ao Likud e Netanyahu, venderam-se para entrar no governo. A deputada Orly Levi-Abokssis, filha do veterano deputado e ministro pelo Likud, David Levi, não aprendeu a lição do pai. Ela que já foi eleita pelo Israel Beiteinu, depois pelo Avodá e o deixou por ser antagônica ao Netanyahu , continua na Knesset, sem partido, porém, por querer sentir os benefícios do governo acabou juntando -se a Bibi.

Caricatura de Shlom Cohen, do Israel Hayom, 11/5/2020.

Bennett: “o espelho da direita não se conecta, dirija só com o da esquerda”

Quem ficou de fora, é o partido Yemina, o mais próximo do Likud, ideologicamente. Seus líderes, Bennett e Shaked, conhecem Netanyahu de perto. Dizem que sua esposa, Sara, não os suporta e por isso eles integram o governo quando o líder do Likud, não tem alternativa. Agora com 75 votos da coalizão, não é preciso os seis deputados do Yemina. Mas, como hobby, tentou e por fim conseguiu fazer um racha no partido. Atraiu o atual Ministro da Educação, Rafi Peretz, para sair do Yemina e ser nomeado Ministro dos Assuntos de Jerusalém. Depois do acordo, Netanyahu lhe comunicou que tem dificuldades em lhe entregar a pasta prometida e quer lhe entregar outra. Os únicos que acertaram, sem problemas são os partidos ultra ortodoxos, Yahadut Hatorá e Shas, que juntamente com Yemina formaram o “bloco da direita”. Estes dois partidos que não são de direita, conseguiram o Ministério da Habitação, já que Litzman disse: “os haredim precisam de moradia” e assim, Deri renovou o “contrato” do Ministério do Interior. Também acertaram acordos ocultos de isenção dos haredim ao alistamento militar obrigatório.

Para aumentar o drama, no noticiário das 18:00h foi informado que devido às dificuldades na formação do novo governo, sua posse fica adiada para domingo (17). Já tratamos da desconfiança, e ao anunciar este adiamento, o ex-Presidente do Knesset, Benny Gantz, anunciou que volta atrás da sua renúncia. Ele deve passar o cargo 24 horas antes da apresentação do governo. Pela desconfiança, anulou a renúncia e a fará de novo na sexta (15).

Os custos destes novos ministérios que terão gabinetes, funcionários e despesas desnecessárias, enquanto parte da população não tem como se sustentar, refletem a imagem de hipocrisia dos eleitos para o público que os elegeu. Eles se esquecem de que lhe devem servir e lutar pela unidade de todos os segmentos da população. Não o fazendo, eles corroem o status do Knesset.

Imagem: Wikipedia (montagem)

7 thoughts on “Novo Governo é formado

  • 15 de maio de 2020 em 11:05
    Permalink

    E voce com seus comentarios maldosos e destruidores que transmitem uma imagem negativa do unico Pais do Mundo que supera o Virus Corona com galhardia e que e uma ilha de progresso no Mundo economico nao destroy a “unidade de todos os segmentos da população”????
    Voce deveria se aposentar em vez de vomitar seu odio. Alias deveria mudra seu nome de Moran para Moron( em Ingles)!!

    Resposta
  • 18 de maio de 2020 em 16:04
    Permalink

    Shmuel, shalom.
    Você critica os meus comentários, talvez porque não gosta da realidade. Me mostre um único fato errado que escrevi. Tudo que mencionei é após um profundo estudo e leitura.
    Eu sei que não tenho que me desculpar a você, mas eu também amo este país e me orgulho dele.
    Tem gente, que não admite alguem que veja a realidade diferentemente, que é a essência da democracia.Lamentável

    Resposta
    • 12 de junho de 2020 em 12:28
      Permalink

      Moran, voce e realmente um pessoa com uma visao totalmente deformada da politica, da economia e do vida social deste lindo e unico Pais judeu! A tua “realidade” e deturpada pela tua mente e visao esquerdista que cause um antipatriotismo e anti juadismo visivel a kilometros! Nao vou perder tempo te mostrando a tua visao totalmente deformada e tendenciosa de israel. Se ao longo de todos estes anos voce nao conseguiu mudar eu nao vou ser quem vai fazer essa mudanca na tua mente. Apenas me deixa furioso que voce continue envenenando as pessoa com teu vomito maldoso e perpotente. Sugiro ao Editor desta Revista que para o bem e futuro da mesmo que aposente voce!!

      Resposta
  • 12 de junho de 2020 em 11:46
    Permalink

    É verdade tudo mas sobre o teu prisma claramente esquerdista! Malha só Netanyahu que merece ser malhado sim, cometeu já muitos erros embora as suspeitas de corrupção sejam estúpidas, patéticas. Nenhuma crítica à conduta esquerdista predatório dessa patotinha do Benny Ganz do Ministério da Indefesa cujas primeiras medidas já prenunciam o que nos aguarda nessa terra que já é um queijo suíço há muito tempo! Ele impediu que finalmente a ordem de suspensão das escandalosas e milionárias aposentadorias para terroristas árabes que assassinaram judeus vigore! Parabéns fakestinos! Essa terra é cada vez mais de vocês! Tratores dos árabes estão pavimentando estradas e fincando a bandeira de quem nunca disse o P e por isso é fakestino desde junho de 1967! Assim acabando com a nossa herança judaica e construindo mesquitas em cima estradas enganando os trouxas manipuláveis e, convencidos de que toda a Judéia e Samaria é na verdade a fakestina, os esquerdopatas não mereceram nenhuma crítica da tua parte.

    Resposta
  • 12 de junho de 2020 em 12:15
    Permalink

    O Ganz com seus deputados árabes apoiadores do terrorismo árabe contra Israel recebeu alguma critica da tua parte? Gostas mesmo de Israe? Não parece! Compactuas com aqueles que desde 1948 esqueceram que Israel é e deveria constar na sua Constituição que é a PÁTRIA DOS JUDEUS, mas os esquerdopatas desde 1948 transfiguraram o único judeu entre as nações, para agradar os ocupantes de 99 % das terras do Oriente Médio!

    Resposta
    • 12 de junho de 2020 em 15:14
      Permalink

      Kol HaKavod Emilia!!! Voce chamou o cara como se deve!! Esquerdopata!!!! Espero que a direcao da revista nao seja tambem esquerdopata. Como prova que coloquem alguem a comentar as coisas boas que Israel tem e nao alguem com visoes neuroticas dos esquerdopatas…

      Resposta
  • 12 de junho de 2020 em 15:26
    Permalink

    A direção da revista não é de esquerda, mas não considera que ser de esquerda seja uma doença, como sugere o termo esquerdopata. David Moran não é esquerdopata e muito menos, mas muito menos mesmo, pró-palestino. Sugerimos a leitura de outros textos dele, como o de hoje, por exemplo, e de outros colaboradores da revista. Agradecemos a confiança e a educação de sempre.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *