Número de israelenses que deixam Israel em queda

De acordo com dados do Escritório Central de Estatísticas de Israel, o declínio no número de israelenses que foram para o exterior para viver por um ano ou mais vem se mantendo, desde 2003. No último relatório, foi observado o número mais baixo de emigrantes israelenses, cerca de 14.300 pessoas, em 2017, o que representou uma redução de 6% na emigração contabilizada em 2016. Essa redução no número de emigrantes de Israel foi, além disso, o menor valor desde 1980.

Na década de 1980, os números permaneceram altos, chegando a 25.000 pessoas deixando Israel a cada ano e totalizando cerca de 120.000 entre 1980 e 1989. Durante a Segunda Intifada, houve um aumento significativo no número de pessoas que decidiram morar fora de Israel.

O número de israelenses que deixaram o país vem caindo desde 2003, após dois anos de grande emigração em 2001 e 2002. Desde 2002, a emigração caiu quase 50%, de 27.300 emigrantes a 14.300, em 2017

No entanto, o saldo da migração de israelenses que se deslocam para o exterior e israelenses voltando para casa permanece negativa, com 8.400 cidadãos e residentes israelenses retornando a Israel em 2017, deixando uma migração negativa de israelenses de 5.800 em 2017. Em 2016, a migração negativa líquida de israelenses ficou em 6,300.

Os nativos são os mais relutantes em deixar Israel, já que a maioria dos que emigram são pessoas nascidas no exterior e que em algum momento se mudaram para Israel. No entanto, a quantidade de sabras que emigraram em 2017 foi de 48% do total. Dois terços dos israelenses nascidos no exterior que emigraram em 2017 nasceram na Europa e 22,7% nasceram na América ou na Austrália.

Dos nascidos no exterior que deixaram Israel em 2017, 44% deles chegaram ao país nos últimos quatro anos, enquanto 38% chegaram ao país na onda massiva de imigrantes, especialmente da Europa Oriental, entre 1990 e 2007. Apenas 9% se mudaram para Israel antes de 1989 e 9% entre 2008 e 2012.

Além disso, dos 14.300 emigrantes que deixaram o país em 2017, 24% eram cristãos, a maioria imigrantes que vieram para Israel dos países da antiga União Soviética, ou pessoas que não reivindicavam pertencer a qualquer religião.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *