Eli Cohen: a vida do espião israelense na Netflix

A série “The Spy”, baseada na vida do agente israelense Eli Cohen, vai estrear em 6 de setembro na Netflix. Com seis capítulos e é estrelada pelo ator judeu britânico Sacha Baron Cohen no papel do espião. A produção é de Gideon Raff, conhecido pela série dramática israelense Hatufim, adaptada para o mercado internacional como a aclamada série Homeland.

A série conta a vida de Eli Cohen, espião israelense de alto escalão, que se infiltrou na Síria e lá desenvolveu importantes relações políticas até que sua identidade fosse descoberta.

Cohen, um judeu nascido no Egito, trabalhou como agente secreto israelense no Egito e na Síria, desde a década de 1950. Uma noite, em janeiro de 1965, após 4 anos de atividades de espionagem na Síria, Cohen foi capturado enquanto transmitia informações pelo rádio de seu quarto.

Descoberto, ele foi forçado a enviar mensagens falsas a Israel, mas seu interlocutor notou que o comportamento de Cohen havia mudado e que as coisas não estavam indo bem. Três dias depois, a Síria anunciou publicamente sua prisão e que ele seria julgado por um tribunal militar.

Ele foi condenado a morrer enforcado em 18 de maio de 1965 e seu corpo foi pendurado no cadafalso por um dia. Um banner com slogans antijudaicos e antissionistas foi pendurado em seu corpo.

Antes de sua descoberta, Cohen conseguiu escalar as fileiras do Ministério da Defesa da sírio, tornando-se o principal conselheiro da agência, e muitas de suas informações foram de grande ajuda para Israel na chamada Guerra dos Seis Dias de 1967.

Até hoje, seus restos permanecem na posse da Síria e o Estado de Israel ainda luta para recuperá-los. Em abril deste ano, relatórios indicaram que Israel supostamente conseguiu, por meio da intervenção da Rússia, recuperar os restos do espião para repatriação em sua terra natal. No entanto, a informação foi negada pouco depois por Jerusalém e Moscou.

Em julho de 2018, seu relógio de mão foi devolvido a sua família em Israel graças a uma operação especial do Mossad.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *