BlogsMabel AugustowskiÚltimo

Oi, sou a Myna. Você vai me ver muito por aqui…

Por Mabel Augustowski

Você chegou a Israel e certamente logo viu a Myna. Ou, pelo menos, ouviu a Myna. Ela é estridente, barulhenta mesmo, muito ativa. E muito chamativa, com seus olhos com entorno amarelo em contraste com as penas pretas que recobrem sua cabeça. É comum vê-la brincando, saltitando, sozinha ou em bando, ou mesmo com seu par, que será único em toda sua vida.

Mas não se engane: Myna é uma das espécies de pássaros invasores com maior potencial de ameaçar a biodiversidade local no mundo! Em Israel ela é chamada Myna indiana ou Myna comum (os pesquisadores israelenses pronunciam como em inglês “Máina”) e tem causado crescente preocupação pelos danos ambientais que pode causar.

Uma espécie invasora é aquela que não é nativa do local, tendo geralmente sido introduzida por atividades humanas e que compete com as espécies nativas, eventualmente dominando sobre elas, ocupando seus habitats e podendo levar à extinção de espécies locais. Espécies invasoras são, portanto, causadoras de sérios desequilíbrios no ecossistema, alterações nos habitats, podendo gerar também sérios prejuízos econômicos, introduzir organismos patogênicos e outros danos.

Há espécies invasoras em quase todos os países do mundo. Podem ser animais ou vegetais, e podem ocorrer em ambientes terrestres, de água doce ou marinhos. Por não serem nativas do local, é comum não terem predadores que controlem o tamanho da população, de modo que elas se reproduzem continuamente e tornam-se espécies dominantes. Há espécies invasoras que até mesmo produzem toxinas, eventualmente letais para muitas espécies nativas. As espécies nativas, por sua vez, que já faziam parte do ecossistema local e das respectivas cadeias alimentares, acabam consequentemente se deslocando para outros ambientes, ou perecendo.

Myna – cujo nome científico é Acridotheres tristis – é considerada uma das espécies mais invasoras do mundo. Em Israel, a Myna e mais duas espécies de periquitos também invasores, foram responsáveis pelo declínio da população de 75% dos pássaros nativos mais comuns, como pardais (declínio de 28%) e bulbuls (declínio de 45%), segundo um estudo realizado por pesquisadores da Faculdade de Arquitetura e Planejamento Ambiental do Technion (Colléony, A. & Shwartz, A. 2020).

A competição com as outras espécies ocorre principalmente por alimento e impedindo a sua nidificação, ou até mesmo como predadora de filhotes das outras espécies e, consequentemente, diminuem seu potencial reprodutivo. Árvores com ninhos de Myna raramente contêm ninhos de outras espécies simultaneamente.

Como a Myna chegou a Israel?

Alguns indivíduos dessa espécie foram trazidos a Israel nos anos 90, para compor parte de um aviário no Parque Yarkon, em Tel Aviv, onde permaneciam em uma gaiola, mas no ano 2000, alguns pássaros foram liberados pelos proprietários do aviário e rapidamente se espalharam, primeiramente em áreas não urbanas e até mesmo no deserto e logo por diferentes cidades. Segundo Dr. Motti Charter, pesquisador do Instituto de Pesquisa Shamir da Universidade de Haifa, a população de Myna em Israel é estimada atualmente em 1 milhão de pássaros. O primeiro registro de nidificação de Myna em Israel é de 1997. (ref…)

Myna é uma ave inteligente, que sabe imitar sons. Tem relacionamento monogâmico – isto é, um único parceiro durante seu ciclo de vida – e nidifica no mesmo local ano após ano. Os dois membros do casal incubam os ovos – geralmente por volta de cinco ovos, de cor azul – durante cerca de um mês e continuam nutrindo os filhotes por mais um mês após o nascimento. Vivem cerca de 12 anos. Sua dieta é bastante diversa: alimenta-se de sementes, insetos, frutas, ovos, filhotes pequenos de outros pássaros e até mesmo de pequenos roedores!

Mas é também uma espécie agressiva, que destrói ninhos de outras aves. Assim, a Myna acaba expulsando espécies de aves nativas de seu habitat natural. Há vários esforços em andamento para conter a expansão da Myna em Israel, principalmente nas Áreas Protegidas (Parques Nacionais e Reservas Naturais).

Existem várias outras espécies invasoras em Israel, sendo que as mais “famosas” são espécies de água-viva ou medusas que chegam ao Mediterrâneo através do Canal de Suez, provenientes do Mar Vermelho e do Oceano Índico (v. Revista Bras.il no….). Mas há também outras espécies de aves, insetos, peixes, árvores, cactos, ou mesmo espécies “invisíveis” que são despejadas no mar junto com as águas de lastro liberadas dos navios.

Foto: Viswaprem ca (Pexels)

Referências:
https://www.israel21c.org/parakeets-and-mynas-threaten-local-israeli-bird-species/
Colléony, A. & Shwartz, A. 2020. When the winners are the losers: Invasive alien bird species outcompete the native winners in the biotic homogenization process. Biological Conservation, 241:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pular para o conteúdo