O acordo histórico e o governo palestino x países árabes

O governo palestino anunciou que irá cortar as suas relações com todos os países que abram ou transfiram as suas embaixadas para Jerusalém.

O secretário-geral da Organização para a Libertação da Palestina (OLP), Saeb Erekat, escreveu uma mensagem na sua conta de Twitter onde avisou da decisão palestina – sem, no entanto, mencionar os nomes da Sérvia e do Kosovo, que decidiram transferir as suas embaixadas de Tel Aviv para Jerusalém – depois de Israel ter reconhecido oficialmente o Kosovo.

Erekat exigiu que todos os países respeitem o direito internacional. “A Palestina vai cortar as suas relações com qualquer país que abra uma embaixada em Jerusalém ou mude a sua embaixada para lá. Violar o direito internacional não é um sinal de força, mas sim de fraqueza” – escreveu Erekat.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse que a Sérvia vai mudar a sua embaixada para Jerusalém, e que o Kosovo vai normalizar as suas relações com Israel.

O Bahrein planeja se tornar o próximo país do Golfo a normalizar formalmente os laços com Israel, disse uma autoridade israelense à emissora pública Kan.

Segundo o informe, a estimativa é que o Bahrein anuncie a medida após a assinatura do acordo de paz entre Israel e os Emirados Árabes Unidos. A assinatura do acordo diplomático entre os dois países será na próxima terça-feira, 15 de setembro, em Washington.

O presidente americano Donald Trump sediará, na Casa Branca, a cerimônia de assinatura do acordo, que deve ter a presença do primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu e uma delegação chefiada pelo chanceler dos Emirados, Abdula bin Zayed.

Foto: Alan Kotok/Wikimedia Commons. Saeb Erekat. Nova York, Dezembro 2015

2 thoughts on “O acordo histórico e o governo palestino x países árabes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *