Parlamentar não quer Israel judeu e sionista

Heba Yazbak, uma legisladora no parlamento israelense da “Lista Conjunta Árabe”, disse abertamente que deseja remover o caráter judeu do estado de Israel e seus valores sionistas.

O partido de Yazbak conquistou 15 cadeiras, das 120 que o Knesset tem, nas últimas eleições de Israel. Nesta semana, ela postou vídeos de duas entrevistas recentes em sua página no Facebook com a manchete: “A lista conjunta (…) será limpa para o benefício de nosso povo”.

A Lista Árabe é um partido composto de quatro frentes, cada uma com posições pró-árabes, mas com diferenças na maneira de agir contra a existência do estado de Israel. Por esse motivo, parlamentares que se opõem ao desaparecimento do estado judeu podem ser encontrados na mesma frente, cumprimentando aqueles que afirmam representar a comunidade árabe em Israel. Yazbak disse em uma entrevista que seu partido procura “combater o sionismo”.

Antes das eleições de março de 2020, vários partidos tentaram proibir Yazbak de concorrer a cargos eletivos sob uma lei que proíbe candidatos que apoiaram abertamente conflitos armados contra o país.

Yazbak mostrou seu apoio ao terrorista Samir Kuntar, chamando-o de “mártir” em sua página no Facebook. Kuntar assassinou membros da família Haran, incluindo o pai e uma menina de quatro anos, a sangue frio, esmagando a cabeça com a coronha do rifle na cidade de Nahariya, no norte de Israel, em 1979. Ele também matou um policial.

Yazbak, nascida em Nazaré, cresceu em uma família muçulmana, recebeu um diploma da Universidade de Haifa e completou um mestrado na Universidade de Tel Aviv. Hoje atua em busca do desaparecimento do estado que criou essas instituições.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *