Rabinos contra violência a transgênero

Numa declaração sem precedentes, 56 rabinos ortodoxos, que tendem a defender posições conservadoras, apoiaram por carta um jovem israelense transgênero que foi vítima de ameaças, discriminação e ataques de seus colegas do ensino médio por causa de sua condição.

“Nós, os rabinos ortodoxos e nossas esposas, estamos comovidos, chocados e tristes com a violência que sofreu por causa de sua identidade como uma jovem transgênero”, disseram em uma carta ao Ministério da Educação e do diretor da escola da jovem.

De acordo com os religiosos, a Torá ensina “amar o próximo como a si mesmo” para “respeitar cada pessoa” e cuidar de “cada homem, mulher, menina ou menino”, especialmente aqueles que estão “em uma situação social frágil, como os transgêneros”.

Na carta, os rabinos também solicitam às autoridades de educação israelenses a “tomar medidas práticas para garantir que quando os estudantes venham lidar com jovens transexuais devem compreendê-los ao invés de atormentá-los.”

A carta de religiosos foi recebida pelo diretor da Organização da Juventude LGTBQ de Israel, Ofer Neuman, que viu a mensagem “como uma iniciativa que demonstra que o Judaísmo é igualitário e cheio de amor” mas, “infelizmente, usado muitas vezes para espalhar ódio e fobia LGBT”.

No início do ano letivo, Osher Band foi atacado em sua escola e até ameaçado com uma faca, desde então não quis ir mais para o colégio. Recentemente sua mãe recebeu um aviso das autoridades israelenses alertando-a das consequências penais de não mandar o jovem para a escola.

Entre os signatários da carta estão o rabino Avidan Friedman, rabino do Instituto Hartman em Jerusalém e o rabino David Bigman, chefe do Ma’aleh Gilboa Yeshiva.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *