Nada decidido sobre reabertura das escolas

Na reunião de gabinete realizada na noite de ontem (domingo), nenhuma decisão foi tomada em relação ao sistema educacional, e o retorno aos estudos amanhã (terça-feira) é dúvida.

De acordo com o esquema proposto, apenas alguns dos alunos iriam regressar e nem todos iriam estudar todos os dias. Os especialistas alertaram os ministros contra a abertura do sistema educacional nas áreas laranja e vermelha e apontaram para um risco significativo. Após 4 horas, a reunião foi encerrada e espera-se que uma decisão seja tomada hoje.

Após o fim da reunião, o Ministro da Educação Galant postou uma mensagem em seu Facebook que dizia: “Sei que não é fácil sem estudos. Lamento que isso atrase a abertura, mas a saúde do aluno primordial.”

Dados do Ministério da Saúde apresentados aos ministros, ontem, mostraram que houve aumento de 400% na morbidade infantil nos últimos dois meses. De acordo com os dados, no início de dezembro havia cerca de 1.500 crianças com resultado positivo para Corona, e agora, no início de fevereiro, há cerca de 6.000 crianças infectadas. O salto nos dados é resultado da variante britânica, que causa maior disseminação do vírus entre as crianças.

LEIA TAMBÉM

No entanto, de acordo com o Ministério da Saúde, a maioria das crianças infectadas está levemente doente ou não apresenta nenhum sintoma. O sistema de saúde, entretanto, teme que a abertura do sistema de ensino em todos os contornos possíveis aumente a taxa de infecção e o número de infectados.

Segundo o coordenador do gabinete do Corona, professor Nachman Ash, “estamos em uma situação que requer grande cautela na abertura. Estou muito preocupado que, se agirmos irresponsavelmente, traremos outra onda.”

Os prefeitos de Rishon Lezion, Bat Yam e Holon anunciaram que se opõem à abertura do sistema educacional se os estudos forem ao ar livre, como previa a proposta do governo. Os três, Raz Kinstlich, Zvika Brut e Moti Sasson, concordaram em formular um plano no qual trabalharão juntos enquanto o nível de morbidade permanecer alto, caso o governo não apresente uma “proposta lógica”, em suas palavras. Atualmente, as três cidades estão definidas como laranja.

Pais, professores e prefeitos se opõem ao plano do governo. O Forum Privado de Jardins de Infância, que reúne todas as pré-escolas privadas, disse que se opõe ao plano. “Não vamos devolver as pré-escolas à atividade em um esquema ilógico e inaplicável como o que foi publicado”, disse em um comunicado. “Abrir pré-escolas com cápsulas dia sim, dia não pode causar danos educacionais e psicológicos.”

Foto: Chen Leopold (Flash90)

One thought on “Nada decidido sobre reabertura das escolas

Fechado para comentários.