Startup israelense no combate ao coronavírus

Uma startup israelense espera ajudar a impedir a propagação do coronavírus mortal enviando tecido antipatogênico à China para produzir máscaras faciais ou outras roupas hospitalares e de proteção.

Liat Goldhammer-Steinberg, diretora técnica da Sonovia Ltd., uma empresa israelense cuja tecnologia é baseada em um processo sonoquímico em escala de laboratório desenvolvido na Universidade de Bar-Ilan, disse que a empresa tem a capacidade de ajudar a impedir a propagação do vírus.

A Sonovia desenvolveu uma tecnologia de acabamento ultrassônico quase permanente para a impregnação mecânica de nanopartículas de óxido de zinco em tecidos.

“A tecnologia é baseada em um fenômeno físico chamado cavitação: as ondas sonoras são usadas para infundir fisicamente os produtos químicos desejados na área da estrutura dos materiais, melhorando-os com propriedades antivirais e antibacterianas clinicamente comprovadas”, disse Jason Migdal, chefe do laboratório.

Segundo Migdal o vírus se espalha rapidamente, portanto, equipamentos de proteção individual antiviral, de baixo custo, altamente duráveis ​​e eficazes, além de sustentáveis ​​para o meio ambiente, são de importância crucial no combate à transmissão dessa epidemia viral e na prevenção de uma pandemia.

Goldhammer-Steinberg disse que, embora a empresa não tenha concluído o processo, ela possui tecido suficiente armazenado em sua linha de P&D para produzir entre 5.000 e 10.000 máscaras, que podem ser fabricadas imediatamente.

“A única coisa que realmente nos impede ou nos atrasa é o fato de sermos uma startup e precisamos de um orçamento para realmente gerar nossos esforços de industrialização, mas estaremos dispostos a colaborar agora para oferecer nossa tecnologia antes do previsto para interromper a epidemia “, disse ela.

Foto: Cortesia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *