Método israelense detecta vírus em um minuto

O novo método permitirá um teste de diagnóstico rápido e simples, que pode ser usado em qualquer lugar, de aeroportos a hotéis. A experimentação de um novo método usando um aparelho respiratório que poderia potencialmente diagnosticar o coronavírus em menos de um minuto foi aprovada pelo Institutional Review Board, também conhecido como comitê de Helsinque.

O novo método baseia-se em uma máquina respiratória desenvolvida pelas empresas israelenses Next-Gen e Scentech Medical, e é semelhante ao bafômetro que a polícia usa para encontrar o etanol contido no sangue. Os pacientes respiram no dispositivo, que deve ser capaz de distinguir entre milhares de compostos gasosos na respiração, isolando o associado ao vírus, permitindo um diagnóstico rápido e simples. Segundo Shulam Lapidot, presidente da Next-Gen.  “Nosso sucesso ajudará a comunidade e a economia a retomarem a atividade plena e suas rotinas normais o mais rápido possível”.

A Next-Gen, usando a tecnologia da Scentech Medical, que lida com a identificação de compostos voláteis, juntou-se ao Meir Medical Center para conduzir o experimento, testando o novo dispositivo respiratório para detecção de coronavírus. O estudo será realizado em pacientes com coronavírus que apresentam níveis variáveis ​​de gravidade da doença.

As empresas explicam que esse tipo de exame tem vários benefícios, inclusive enfrentando várias dificuldades que as equipes médicas atuais têm no diagnóstico do vírus. Uma dessas é a possibilidade de identificar e diagnosticar rapidamente pacientes assintomáticos, juntamente com pacientes em estágio inicial da doença, de modo a possibilitar métodos de quarentena mais eficientes.

Além disso, o novo dispositivo reduz significativamente a quantidade de tempo para obter resultados, podendo diagnosticar em minutos em comparação com o método atual que leva até dois dias, permitindo um aumento na confiabilidade dos resultados.

Outra grande vantagem desse método é que ele ajudará a entender a “impressão digital” genética do vírus corona e permitirá a detecção muito mais rápida e precoce de um vírus possível e futuro, reduzindo os danos causados ​​pelas doenças e permitindo altas chances de recuperação”, disse o Dr. Udi Cantor, diretor médico da Scentech Medical.