Trabalho e Torá: tudo a ver com segurança

As organizações de segurança e inteligência de Israel estão lançando uma nova iniciativa, alcançando membros da comunidade haredi ultra-ortodoxa que estão procurando emprego.

A iniciativa, que terá como alvo jovens entre 24 e 34 anos, com proficiência e habilidades únicas, é resultado de grande esforço da parte da Pardes, uma ONG que trabalha para integrar os jovens haredim às organizações e instituições de segurança de Israel. A população-alvo da campanha são os jovens haredim que completaram com sucesso a trilha da yeshivá – não para aqueles que ainda estão no meio dela – e que estão procurando por um lugar significativo de emprego. O fundador de Pardes é o rabino Dr. Moshe Kahan – graduado pelas Yeshivot Tifrah e Mir e um professor de línguas semíticas na Universidade Ben-Gurion do Negev.

Segundo Kahan, a comunidade ultra-ortodoxa, que tem sido historicamente isenta do serviço militar e já realizou inúmeras manifestações contra o recrutamento, “mas isto não é serviço nacional ou juntar-se à IDF, isso é um trabalho”.

O tipo de trabalho disponível no aparato de segurança israelense permite que jovens haredim se integrem nessas instituições sem ter que enfrentar potenciais conflitos em torno de sua identidade religiosa e a decisão das organizações de segurança de aumentar seu contingente de candidatos abrindo suas portas aos recrutas haredim lhes permitirá alcançar um segmento significativo no mercado.

A Pardes permite que jovens haredim treinem em uma pista que é administrada e executada dentro de uma estrutura haredi, e os candidatos poderão continuar estudando a Torá paralelo a seus cursos em um ambiente ultra-ortodoxo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *