Turquia detém suspeitos de espionagem para o Mossad

Em uma operação conjunta da polícia turca e da Organização Nacional de Inteligência (MIT), foram presas 44 pessoas, integrantes de uma consultoria local.

Os suspeitos teriam recebido fundos do Mossad, o Instituto de Inteligência e Operações Especiais de Israel, para espionar expatriados palestinos e outras organizações não-governamentais, segundo o jornal turco “Daily Sabah”.

Em princípio, acreditava-se que os suspeitos ofereciam serviços de investigação privada por meio de seus contatos no Mossad. Até agora, sete dos 44 homens foram indiciados, enquanto as autoridades turcas lançaram uma operação para prender 13 outros que se acredita estarem envolvidos, um dos quais trabalha como professor universitário, de acordo com a reportagem.

Esta revelação ocorre quando as relações estão aparentemente melhores entre Israel e a Turquia, com um acordo de que tanto o Mossad quanto o MIT compartilhariam voluntariamente informações que permitiriam a Tel Aviv rastrear células iranianas dentro da Turquia.

No ano passado, o MIT descobriu vários grupos de espionagem, incluindo 15 pessoas que estudavam em universidades locais, presas pelas forças antiterroristas turcas e identificadas como possíveis recrutas do Mossad.

Outra conspiração revelada pelo MIT envolvia iranianos que supostamente planejavam o assassinato de israelenses em visita à Turquia.

LEIA TAMBÉM

Hussein Tayeb, chefe da Organização de Inteligência do Corpo da Guarda Revolucionária Iraniana, foi identificado na época pelo MIT e Mossad como líder do esforço para atingir os israelenses na Turquia.

Fonte: Ynet
Foto: Haim Zach / Government Press OfficeCC BY-SA 3.0 (Wikimedia Commons)