Vamos falar hebraico

‎בואו נדבר עברית

Hoje, quinta-feira é comemorado (antecipadamente) o Dia da Língua Hebraica. Seu objetivo é promover o uso moderno da língua antiga, tanto em Israel quanto no mundo todo. Muitos eventos estão programados para marcar a ocasião, inclusive nas escolas israelenses.

O tema deste ano é “hebraico – uma linguagem inovadora”.

A Academia da Língua Hebraica em Jerusalém oferecerá palestras, oficinas profissionais, visitas à sala de Eliezer Ben-Yehuda e aos arquivos da academia.

Ben-Yehuda foi considerado a força motriz por trás do renascimento da língua hebraica no final do século XIX e início do século XX. A ocasião marca seu aniversário, 21 Tevet no calendário hebraico, mas foi antecipada este ano porque a data real cai no shabat.

Uma das maiores batalhas é evitar a infiltração do inglês no hebraico moderno. A academia está lutando contra a intenção da Universidade Hebraica de conduzir as aulas dos cursos de M.A. e Ph.D. em inglês. A academia argumenta que “o hebraico moderno é qualificado para ser usado em todas as esferas da vida e para todas as necessidades, incluindo pesquisa e estudo científico, sem exceção”.

A academia até se opõe ao uso por políticos israelenses e outros do termo “Fake news” que foi popularizado pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, insistindo que há uma maneira perfeitamente correta de dizê-lo também em hebraico.

Enquanto as escolas marcam este dia especial, as instituições religiosas de estado estão lançando um ambicioso projeto chamado “Lendo até um milhão ”, com um objetivo declarado de ler um milhão de livros entre o Dia da Língua Hebraica e a Semana da Educação Religiosa, em maio. Cerca de 100.000 estudantes de cerca de 400 escolas participam. O objetivo é enfatizar que a leitura é prazerosa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *