A difícil escalada social em Israel

Segundo uma pesquisa publicada, esta semana, pelo Escritório Central de Estatística de Israel, os israelenses nascidos de pais de baixa renda ou com baixa escolaridade têm menor probabilidade de subir socialmente.

Segundo a pesquisa, o número de pessoas acima de 30 anos que não possuem diploma do ensino médio é maior entre aquelas cujos pais não concluíram este segmento: cerca de dois terços tinham pais que não concluíram o ensino médio, 25% deles tinham pais que se formaram no ensino médio e apenas 7% deles tinham pelo menos um dos pais com um diploma acadêmico.

Entre as pessoas acima de 30 anos com diploma acadêmico, 70% tinham pelo menos um dos pais com um ensino superior e apenas 15% tinham pais sem formação acadêmica.

A educação dos pais também afeta a renda de seus filhos, mostrou a pesquisa. O Escritório examinou três categorias de renda média per capita da família: abaixo de NIS 2.000 por mês (aproximadamente US$ 567), entre NIS 2.000 e NIS 4.000 (aproximadamente US$ 567 – US$ 1.134) e mais de 4.000 NIS. Entre as pessoas com mais de 20 anos cujos pais não se formaram no ensino médio, cerca de um terço pertencia a cada categoria, mas entre aquelas cujos pais tinham formação acadêmica, 90% ganham mais de 2.000 NIS por mês.

Quando se trata de áreas de emprego, a mobilidade ascendente também é rara. Segundo a pesquisa, das pessoas com mais de 30 anos cujo pai possuía carreira acadêmica, 51% também possuíam uma. Entre aqueles cuja mãe era acadêmica, 48% trabalhavam em profissões acadêmicas. Das pessoas cujos pais não eram acadêmicos, apenas 20% seguiram uma carreira acadêmica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *