A quarta dose e as novas medidas

O Diretor-Geral do Ministério da Saúde, Prof. Nachman Ash, deve aprovar a quarta dose da vacina esta semana, mas cogita aumentar a idade dos vacinados para 70 anos em vez dos 60 e não vacinar as equipes médicas nesse momento. A ordem para o início da quarta campanha provavelmente será assinada, esta semana.

O ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, disse, hoje, que “é bem possível” que a lista de países vermelhos mude nos próximos dias e que no novo esquema de isolamento haverá uma diferença entre as exigências de vacinados e não vacinados. “A situação em Israel é muito boa em relação ao mundo, mas isso não significa que você pode ser complacente”, disse Horowitz

“Todos nós esperamos que haja indícios mais otimistas, mas o omicron é contagioso em uma taxa tremenda e, infelizmente, não é uma gripe e não pode ser tratada como gripe”, disse em uma reunião do seu partido.

Horowitz referiu-se à política do Aeroporto Ben Gurion e disse que “as ações que tomamos atrasaram significativamente a entrada do omicron, mas dissemos desde o início que uma vez que a maior parte da infecção está na comunidade do país e não vêm do exterior, então algumas diretrizes de entrada e saída tornam-se redundantes”.

“É muito cedo para declarar uma mudança na política do Aeroporto Ben Gurion e de qualquer forma vamos manter supervisão e fiscalização, mas certamente é possível que a lista de países vermelhos mude nos próximos dias”, acrescentou.

“A chave são as vacinas. Há estoque de vacinas para todos, temos nos preocupado continuamente e é um privilégio que não está em todos os países”, acrescentou o ministro da saúde. “No final das contas a responsabilidade de se vacinar está nas mãos de todos e não posso mudar o julgamento de ninguém, mas devido aos dados da Omicron, os não vacinados devem saber que não estão protegidos. Estamos acompanhando os dados e devemos mudar a política de isolamento. Os detalhes ainda não foram decididos, mas haverá uma diferença entre pessoas vacinadas e não vacinadas que entraram em contato com uma pessoa infectada”.

LEIA TAMBÉM

O Ministro das Finanças, Avigdor Lieberman, também se referiu na reunião de seu partido ao Omicron e disse que “toda a questão da atual onda não deve ser subestimada e tomada levianamente. Ao mesmo tempo, tudo depende do comportamento responsável dos residentes de Israel. Os dados de baixa morbidade permitem-nos manter a economia aberta e espero que como país saibamos como manter a economia, mas isso exige uma conduta responsável dos cidadãos. Aqueles que ainda não foram vacinados devem ser vacinados e usar máscaras. A combinação de vacinas e máscaras nos permitirá continuar a funcionar ao lado do corona e manter a economia aberta”.

Enquanto isso, mudanças quanto ao isolamento também são esperadas: o plano de isolamento do vacinado exposto a um paciente com Omicron abrandará em alguns dias. O Ministério da Saúde vai formular uma recomendação que será levada ao Primeiro-Ministro de encurtar o isolamento até um teste de corona negativo ao final de três dias, ou mesmo um cancelamento completo.

O Ministério da Saúde emitiu também uma autorização emergencial para o medicamento Paxlobid da empresa Pfizer para o tratamento da Corona. A droga, que na semana passada também recebeu uma licença de emergência da Food and Drug Administration (FDA) dos Estados Unidos, deve chegar a Israel nos próximos dias. “Este é um medicamento antiviral administrado em comprimidos e destina-se a pacientes de corona com sintomas leves a moderados, que apresentam alto risco de complicações”, explicou o Ministério da Saúde. “O medicamento é para tratamento domiciliar e deve ser administrado a partir do início dos sintomas”.

Fonte: The Times of Israel e Ynet
Foto: Pixabay

2 thoughts on “A quarta dose e as novas medidas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *