Abolido o código de vestimenta na Universidade Bar-Ilan

A Universidade Bar-Ilan não pedirá mais que seja cumprido o código de vestuário recatado para mulheres ou kipot para os homens, em meio a uma diminuição do número de estudantes religiosos.

A Universidade explicou que não aplica as regras há muitos anos. Os alunos deviam assinar uma declaração aceitando os requisitos e reconhecendo que a universidade opera “no espírito da Torá e na tradição de Israel”. A declaração descrevia roupas que não são modestas como “assediadoras e prejudiciais aos sentimentos da população do campus”.

A nova declaração que os alunos assinarão expressa que: “Eu sei que os objetivos e tendências da Universidade são incentivar e avançar o estudo e a pesquisa em todos os ramos da Torá e da ciência, no espírito de Israel e na tradição judaica”.

A Universidade Bar-Ilan foi fundada em 1955 como uma instituição judaica religiosa. É a segunda maior universidade de Israel, com mais de 18.000 estudantes.