Atenção: dispositivo trata o déficit de atenção

Uma startup israelense desenvolveu um novo dispositivo médico para tratar o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH). E não requer drogas como Ritalin ou Adderall.

O “boné” médico patenteado da InnoSphere, baseada em Haifa, fica sobre a cabeça do paciente. Pequenos eletrodos embutidos na tampa fornecem cargas elétricas às regiões do cérebro envolvidas no comportamento do TDAH. A tampa é usada por 20 minutos por dia, por apenas 15 dias.

O objetivo da InnoSphere é estimular os neurônios no cérebro a fazer novas conexões em áreas onde os que sofrem de TDAH são deficientes.

“Damos aos neurônios um empurrãozinho para conversar com outros neurônios no cérebro, para nos comunicarmos melhor”, diz o fundador e CEO Rami Shacour.

O dispositivo de TDAH da InnoSphere aproveita a “neuroplasticidade” – a capacidade do cérebro de se reorganizar formando novas conexões neurais em resposta a novas atividades e situações, ou para compensar lesões ou doenças.

Isso faz com que seja diferente de outros dispositivos de neuromodulação feitos por Israel, como Neurolief ou Theranica, os quais visam eliminar a dor da enxaqueca estimulando eletricamente os nervos específicos.

O produto InnoSphere deve ser prescrito por um médico depois de fazer um diagnóstico de TDAH e identificar a gravidade dos sintomas. O médico fará o upload dessas informações para a plataforma on-line do InnoSphere, onde, diz Shacour, “nossos algoritmos de inteligência artificial geram um protocolo de tratamento pessoal”.

Isso é fundamental para tratar o TDAH. “A técnica de estimulação cerebral é conhecida há muitos anos e tem demonstrado melhorar as habilidades cognitivas”, explica Shacour. “O problema é que os médicos não podem adaptar a estimulação de regiões específicas do cérebro para cada paciente. Com nossos algoritmos de IA, agora eles podem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *