Calor em Israel diminui, mas futuro preocupa

As temperaturas devem diminuir hoje em Israel, antes de voltar a subir no fim de semana, de acordo com previsões dos meteorologistas, na quarta-feira.

As temperaturas atingiram 32°C  em Tel Aviv e Jerusalém às 15h de quarta-feira, de acordo com o Serviço Meteorológico de Israel, enquanto em Beer Sheva, no sul do país, atingiu 36°C . No Norte, o clima estava mais frio, com Haifa registrando 29°C.

A temperatura deve cair de 1 a 2°C em todo o país, com Beer Sheva chegando a 34°C , enquanto as temperaturas em Tel Aviv e Jerusalém devem cair abaixo dos 30°C.

Israel está experimentando um verão relativamente médio, com a Europa sufocada por uma onda de calor que provocou incêndios no sul do continente e fez com que os termômetros subissem acima de 40°C  no Reino Unido, pela primeira vez.

Cientistas do clima alertaram que esses eventos climáticos extremos se tornarão mais frequentes devido ao aquecimento global.

O Instituto de Meteorologia (IMS) prevê que o país sofrerá ondas de calor com duração de 7 a 10 dias a partir de 2030, com temperaturas chegando a 50°C em certas partes do país, de acordo com sua avaliação revelada pelo jornal Haaretz.

Em 2060, o número de ondas de calor anuais aumentará de seus atuais quatro para seis, com a temperatura média do verão saltando de 33,5°C  para 35°C, noticiou o Canal 12.

LEIA TAMBÉM

“Se no passado, a chance de ultrapassar 50 graus era de uma vez em 100 anos, é quase certo que no clima atual, a probabilidade já é de uma vez em 10”, disse Nir Stav, diretor do órgão do governo, segundo o Haaretz.

As máximas diárias durante as ondas de calor chegarão a 40°C e às vezes 50°C no Vale do Jordão, no norte do país, até 2050, enquanto o Negev, no sul de Israel, também experimentará dias chegando a 40°C  a 45°C , relatou o Haaretz.

Jerusalém também pode sofrer com temperaturas na casa dos 40 graus Celsius, de acordo com o relatório.

As noites proporcionarão menos alívio nos próximos anos, com o serviço prevendo que mínimas diárias de mais de 20°C ocorrerão 75 vezes por ano até 2050, acima das atuais 63, revelou o diário.

O calor extremo não é o único problema que os israelenses enfrentarão. O IMS previu que Israel terá entre 8 e 13 dias a menos de chuva nos próximos anos, informou o Canal 12.

Israel experimentou seu dia mais quente da história em 4 de setembro de 2020, com temperaturas na cidade litorânea de Eilat, no sul, registradas em uma alta sem precedentes de 48,9°C.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Canva

2 thoughts on “Calor em Israel diminui, mas futuro preocupa

Fechado para comentários.