Centro do Holocausto do Arizona terá hologramas interativos

A Sociedade Histórica Judaica do Arizona lançou uma nova iniciativa para construir um centro educacional de alta tecnologia sobre o Holocausto no centro de Phoenix, Arizona, que apresentará hologramas interativos de sobreviventes.

Hoje, Phoenix, com uma população de mais de 1,6 milhão de habitantes e uma comunidade judaica de quase 100.000, é uma das grandes cidades americanas sem um centro do Holocausto.

A Sociedade Histórica Judaica do Arizona espera remediar a situação de uma maneira única, fazendo uso de tecnologia moderna.

O centro será um dos poucos museus do mundo a apresentar exposições especiais com tecnologia de holograma, que permitirá aos visitantes interagir com imagens holográficas dos sobreviventes, fazendo perguntas sobre suas experiências.

LEIA TAMBÉM

A tecnologia foi apresentada em um episódio de “60 minutes” em 2020. No noticiário, a entrevistadora Leslie Stahl foi vista conversando com um homem chamado Aaron Elser que sobreviveu ao Holocausto quando criança se escondendo no sótão de um vizinho. Mas não era Elser, que tinha falecido, mas um holograma realista dando respostas pré-gravadas às perguntas de Stahl.

Os organizadores dizem que precisam arrecadar cerca de US$ 15 milhões para dar vida ao museu.

O museu seria parte do Cutler-Plotkin Jewish Heritage Center, que serve como um museu comunitário no centro de Phoenix.

Fonte: Vis A Vis
Foto: Cutler-Plotkin Jewish Heritage Center