Documentário conta o papel dos EUA no Holocausto

Um filme em três partes do premiado documentarista americano Ken Burns sobre o papel que os EUA desempenharam antes, durante e depois do Holocausto deve estrear em setembro na PBS.

“Os EUA e o Holocausto” é inspirado em parte por uma exposição no Museu do Holocausto dos EUA, “Americanos e o Holocausto”. O filme examina a resposta do governo dos EUA ao Holocausto à medida que se desenrolava na Europa e as controvérsias em torno de suas decisões, incluindo a discussão sobre se os Aliados deveriam ter bombardeado o campo de concentração de Auschwitz e um incidente em que mais de 900 refugiados judeus a bordo do MS St. Louis foi impedido de entrar em Cuba e nos EUA em 1939, forçando-os a retornar à Europa.

O documentário também explorará a ascensão de Hitler e do nazismo na Alemanha em relação ao antissemitismo e racismo no mundo, e a política americana em tópicos como leis raciais no sul, as visões anti-imigração do ex-presidente dos EUA Calvin Coolidge e o Lend-Lease projeto de lei, que permitiu que os EUA fornecessem ajuda militar a seus aliados estrangeiros durante a Segunda Guerra Mundial.

O filme, escrito por Geoffrey Ward, será dirigido e produzido por Burns ao lado de Lynn Novick e Sarah Botstein. Entre os narradores estarão Liam Neeson, Matthew Rhys, Meryl Streep, Werner Herzog, Joe Morton e Hope Davis.

“A história não pode ser vista isoladamente”, disse Burns esta semana. “Embora com razão celebremos os ideais americanos de democracia e nossa história como nação de imigrantes, também devemos lidar com o fato de que as instituições e políticas americanas, como a segregação e o tratamento brutal das populações indígenas, foram influentes na Alemanha de Hitler. E não se pode negar que, embora tenhamos aceitado mais refugiados do que qualquer outra nação soberana, os Estados Unidos poderiam ter feito muito mais para ajudar os milhões de pessoas desesperadas que fugiam da perseguição nazista”.

LEIA TAMBÉM

O documentário também contará com testemunhos de sobreviventes do Holocausto, bem como entrevistas com historiadores e escritores. O filme irá confrontar “mitos de que os americanos ignoravam a perseguição indescritível que judeus e outras minorias enfrentavam na Europa ou que olhavam com indiferença insensível”, disse a PBS em um comunicado de imprensa anunciando o projeto.

Cerca de 200.000 judeus fugindo da Segunda Guerra Mundial encontraram refúgio nos Estados Unidos, mas muitos tiveram sua entrada negada. A diarista e vítima do Holocausto Anne Frank e sua família solicitaram, mas não conseguiram obter vistos para os EUA antes de se esconderem.

“The US and the Holocaust” estreia entre 18 e 20 de setembro na PBS e será distribuído internacionalmente pela PBS International. Ele estará disponível gratuitamente em todas as plataformas da PBS.

Fonte: The Algemeiner
Foto: Cortesia da Biblioteca do Congresso

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.