Elie Wiesel será homenageado em Washington

A Catedral Nacional de Washington homenageará Elie Wiesel, o ganhador do Nobel da Paz e memorialista do Holocausto, com um busto, o primeiro judeu a receber a honraria.

“Talvez não seja o primeiro. Eu diria que ele é o primeiro judeu do século 20”, disse o reitor da catedral, reverendo Randy Hollerith, depois que um repórter perguntou como Wiesel se tornou o primeiro judeu a receber uma representação esculpida na catedral.

Questionado se ele estava se referindo a Jesus e alguns dos apóstolos, que também aparecem em estátuas e bustos no marco de Washington, Hollerith disse que sim.

“É correto dizer que existem outros”, disse ele em entrevista na segunda-feira. Também há representações de profetas judeus, incluindo Noé, Joabe, Isaías e Jeremias, nos vitrais da catedral.

O busto de Wiesel se junta a outros no Pórtico dos Direitos Humanos, visível quando se entra na catedral, que é conhecida por seu papel durante as inaugurações presidenciais e outros dias de importância nacional. Entre eles estão Madre Teresa, Rosa Parks e Oscar Romero, o arcebispo de El Salvador que foi assassinado em 1980 enquanto rezava uma missa.

LEIA TAMBÉM

Hollerith disse que o contexto cristão é a chave para entender a importância de Wiesel. “Para mim, francamente, tê-lo nesta catedral é também um lembrete para todos que passam por essas portas sobre a realidade do Holocausto e o que aconteceu, e que isso nunca deve ser esquecido”, disse ele. “E eu acho que isso é duplamente importante dentro de um contexto cristão”.

A catedral pertence à Diocese Episcopal de Washington, mas se empenha em sua missão de ser “um espaço sagrado onde o país se reúne em momentos de importância nacional” para estar aberto a todas as religiões e denominações cristãs. Rabinos e Imans participam rotineiramente de cultos que acontecem no dia seguinte às posses presidenciais. Martin Luther King Jr. pregou na catedral no domingo antes de seu assassinato.

A catedral começou a consultar a família Wiesel em 2017, cerca de um ano após sua morte. Eles revisaram várias fotos e escolheram uma imagem. Chas Fagan, membro da Comissão de Belas Artes dos Estados Unidos que criou várias obras na catedral, criou o modelo de argila. Sean Callahan usou técnicas medievais para esculpir o busto em pedra.

Segundo a viúva de Elie Wiesel, Marion Wiesel, “sua presença na Catedral Nacional não só homenageia sua vida e honra seu compromisso com os direitos humanos. Também garante que as novas gerações aprenderão com seus ensinamentos e levarão as lições de sua vida para o futuro”.

A dedicação formal do busto ocorrerá no outono de 2021.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Catedral Nacional (via JTA)