Dia da Memória dos Mártires e Heróis do Holocausto

A Cerimônia de Abertura oficial do Estado em homenagem ao Dia da Memória dos Mártires e Heróis do Holocausto, acontece esta noite, 7 de abril, às 20h, na Praça do Gueto de Varsóvia, no Museu Yad Vashem, em Jerusalém.

A tocha da lembrança será acesa pelo Vice-Presidente do Conselho do Yad Vashem, Ronen Plot, e Roza Bloch falará em nome dos sobreviventes.

Os sobreviventes do Holocausto acenderão seis tochas. Primeira tocha: Shmuel Naar; segunda tocha: Zehava Gealel; terceira tocha: Yossi Chen; quarta tocha: Halina Friedman; quinta tocha: Sara Fishman; sexta tocha: Manya Bigunov. Durante a cerimônia, serão exibidos pequenos vídeos sobre cada um dos sobreviventes, produzidos e dirigidos por Shlomo Hazan.

A cerimônia será transmitida ao vivo pela TV com tradução simultânea para inglês, francês, alemão, hebraico, russo, espanhol e, pela primeira vez, árabe.

O tema deste ano será “Até o último judeu – oitenta anos antes do início do extermínio em massa”.

LEIA TAMBÉM

Os cantores israelenses David Daor e Meshi Kleinstein, bem como a Guarda de Honra dos paraquedistas das Forças de Defesa de Israel, participarão da cerimônia, que também incluirá peças narradas pelo ator israelense Dean Miroshnikov. A mestre de cerimônias será Hila Korach. O evento durará aproximadamente 75 minutos.

Como nos anos anteriores, a cerimônia também contará com um tradicional serviço memorial, incluindo a recitação de um capítulo dos Salmos pelo Rabino Chefe de Israel Rabino David Lau. O Rishon LeZion, rabino Yitzhak Yosef vai recitar o Kadish, oração dos enlutados e o Cantor Avraham Kirshenbaum recitará El Maleh Rahamim, a oração judaica para as almas dos mártires.

A data foi estabelecida para marcar o aniversário do levante do Gueto de Varsóvia, em 19 de abril de 1943.

A data foi lembrada pela primeira vez em 1951 e foi decretada por lei em 1959. A lei estipula que todos os locais de entretenimento, incluindo restaurantes e cafés, permaneçam fechados e serviços memoriais são realizados em todo o país. Às 10h de amanhã, sirenes soam em todo o país. Todos param o que estão fazendo e ficam em silêncio. Bandeiras são hasteadas a meio mastro e programas de TV e rádio são dedicados ao assunto.

Fonte: Yad Vashem