Etíopes comemoram seu feriado nacional

Os judeus da Etiópia, os falashas, ​​como às vezes são chamados e que em amárico significa “exilados”, chegaram a Israel nos anos 1980-1990 graças às operações aéreas entre a Etiópia e Israel, após seu reconhecimento em 1975 como judeus pelo governo israelense.

Eles trouxeram com eles para Israel suas tradições, incluindo a do Sigd.

O festival Sigd é um festival tradicional que é celebrado todos os anos no dia 29 do mês de Cheshvan – este ano, quinta-feira, 4 de novembro de 2021 – exatamente 50 dias após a festa de Yom Kipur.

O Sigd celebra a ascensão dos judeus da Etiópia a Jerusalém e o presente da Torá. É por este último motivo que ocorre 50 dias após o Yom Kipur, assim como Shavuot cai 50 dias após Pessach, a saída do Egito. Sigd também é considerado um segundo Kipur, mas desta vez no nível de toda a comunidade e não no nível individual.

LEIA TAMBÉM

Desde 2008, a Knesset reconhece o feriado Sigd como um feriado oficial israelense.

Normalmente, o Sigd é a ocasião para uma grande reunião no calçadão da Harmon Hanatsiv, em Jerusalém, entre 8h e 15h, de onde pode ser vista a cidade velha de Jerusalém e o Monte do Templo. Ao longo do calçadão, estandes exibem as diferentes facetas dessa rica cultura: arte, dança, culinária, etc. O presidente israelense, Isaac Herzog, participará da comemoração este ano por volta das 12h30.

A Revista Bras.il publicou dois artigos sobre os judeus etíopes em Israel em sua edição de agosto/2019. Confira aqui!

Fonte: Jérusalem Futée
Foto: PikiWiki