EUA pedem que Knesset aprove isenção de visto

Um alto funcionário da embaixada dos EUA em Jerusalém disse, na quinta-feira, que, se a Knesset não aprovar a legislação necessária para que Israel cumpra o Programa de Isenção de Vistos (VWP), os israelenses podem ter que esperar mais um ano ou 18 meses, antes que outra oportunidade de isenção da necessidade de solicitar vistos de turista esteja disponível.

A fonte enfatizou que o andamento do processo não deveria ser adiado para depois das eleições.

O aumento da pressão americana ocorre em meio a disputas políticas em torno da legislação. A oposição, liderada por Benjamin Netanyahu, se recusa a aprovar as leis e insiste em esperar até depois das eleições para que a legislação seja votada.

Em junho, o embaixador dos EUA, Tom Nides, solicitou a Netanyahu que ele retirasse suas objeções à lei. Netanyahu disse que apoiaria a legislação apenas se a coalizão aceitasse suas demandas para que as eleições fossem realizadas em outubro e não em novembro, como o governo decidiu.

Mas tal decisão atrasaria significativamente o processo, disse a fonte, porque o Departamento de Segurança Interna dos EUA (DHS) precisaria de tempo para aprovar oficialmente a candidatura de Israel no VWP.

Para impulsionar o VWP, a Knesset deve aprovar a transferência de informações para os Estados Unidos sobre israelenses com acusações criminais ou de segurança, antes de embarcar em voos para os EUA, a fim de permitir que o DHS se prepare para quaisquer medidas que possam precisar tomar para evitar o perigo ou receber informações sobre suspeitos envolvidos em lavagem de dinheiro.

LEIA TAMBÉM

O software necessário para cumprimento dessas leis deve ser ajustado antes que o DHS aprove o processo, o que pode levar de 9 a 12 meses, a partir do momento em que a legislação for aprovada.

Sem se deixar abater pelas tentativas dos EUA de avançar no assunto, a oposição continua em sua obstrução, alegando que a legislação pode levar à invasão de privacidade, apesar de todos os 40 países que aderiram ao VWP também terem cumprido os critérios exigidos.

Outra exigência é que Israel reduza a taxa de rejeição de pedidos de visto para menos de três por cento. Os EUA ainda não divulgaram dados sobre a taxa de rejeição deste ano, que está prevista para o início de 2023.

Embora os últimos anos tenham mostrado que a taxa de rejeição em Israel diminuiu, ainda há uma alta probabilidade de que não fique abaixo dos três por cento exigidos.

Se os dados divulgados revelarem que Israel não conseguiu cair abaixo da taxa de rejeições, terá que esperar mais um ano para solicitar a inclusão no VWP. Assim, mesmo que a Knesset consiga cumprir os requisitos para entrar na lista de países deste ano, o plano não entraria em ação antes de meados de 2023.

Se a Knesset esperar até depois das eleições, isso pode ser adiado para o verão de 2024.

Fonte: Ynet
Foto: Canva

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.