Exame de DNA nas fezes de cachorro dará multa

Os donos de cães em Tel Aviv agora terão que fornecer amostras de DNA de seus cães ao receber ou renovar suas licenças de propriedade, em um esforço para lutar contra o problema das fezes dos cães não coletadas na rua.

O conselho municipal de Tel Aviv-Jaffa aprovou uma emenda ao estatuto da cidade, tornando obrigatório que os donos de cães registrem seus animais de estimação em um banco de dados de DNA.

Isso permitirá que os inspetores municipais coletem amostras de fezes de cães deixadas nas ruas, e uma multa seja enviada pelo correio ao proprietário que não limpar. De acordo com o estatuto, também serão cobradas as despesas de amostragem e testes.

A lei foi submetida ao Ministério do Interior para exame e aguarda aprovação.

O município calculou que cerca de 500 quilos de fezes de cachorro não são coletados na rua todos os meses e espera que a nova lei funcione para diminuir a quantidade.

LEIA TAMBÉM

“O município, por sua vez, tem trabalhado muito para erradicar a questão da coleta de fezes, aplicando multas aos donos de cães, colocando sacos de coleta em jardins e parques, definindo dezenas de parques caninos em toda a cidade, mas isso não diminui a responsabilidade dos proprietários dos cães de manter o espaço público limpo”, disse um representante do município.

A proporção de humanos para cães em Tel Aviv-Yafo é uma das mais altas do mundo: 1 em cada 11 pessoas na área possui um cachorro.

Em abril, a cidade lançou uma campanha que convocou os donos de cães a fazerem a limpeza, depois que constatou que houve um aumento significativo no ano passado nas reclamações à prefeitura sobre esses incidentes.

Somente em 2020, foram feitos 6.766 atendimentos na central de atendimento 106 Plus e no app 106+, referentes à limpeza e fiscalização de fezes de cães no espaço público. A Patrulha Verde, responsável por fazer cumprir a questão, distribuiu mais de 3.500 multas para pessoas que não coletaram as fezes de seus cães.

“A limpeza do espaço público é parte integrante do aspecto da cidade e o município espera que as ações municipais para reduzir o fenômeno realmente traga uma mudança entre os donos de cães que não coletam suas fezes na cidade”, afirmou um funcionário do município.

“O município acredita que por meio da informação, fiscalização e cooperação de todos os moradores da cidade, haverá uma melhoria nessa questão, em prol da qualidade de vida da cidade”.

Fonte: The Jerusalem Post
Foto: PxHere