Aprovada redução de quarentena de 14 para 7 dias

O gabinete de coronavírus aprovou, nesta terça-feira, a redução de 14 para 7 dias da quarentena de pessoas não vacinadas que foram expostas a um paciente COVID-19 confirmado ou que retornaram do exterior.

No sétimo dia, os submetidos a essa quarentena terão que se submeter a um teste de coronavírus. Se o teste for negativo, eles podem sair do isolamento.

“A fim de aumentar a cooperação e a confiança do público, o gabinete decidiu permitir às pessoas que estejam em quarentena se submeter a um teste no sétimo dia do seu isolamento, espera por um resultado negativo e, em seguida, ser liberado”, disse o primeiro-ministro Naftali Bennett ao anunciar a decisão.

“Ao mesmo tempo, aumentaremos a fiscalização do cumprimento das regras. As pessoas que saírem sem o resultado do teste serão multadas em 5.000 shekels (US$ 1.500)”.

“O objetivo desta decisão é aumentar o número de pessoas que respeitam os requisitos de isolamento”, acrescentou. “Estabelecemos medidas que o público pode cumprir”.

“Esperamos que todo o público respeite integralmente a quarentena, os testes de fim de período  quarentena, as vacinações e o uso de máscaras”, disse Bennett.

LEIA TAMBÉM

“Estamos empenhados em fazer todo o possível para proteger a saúde pública com o mínimo de perturbação na vida diária”, escreveu o ministro da Saúde, Nitzan Horowitz, em um tweet. “Peço a cada um de vocês que ajam com responsabilidade pessoal, e aqueles que precisam se isolar, fiquem em casa”.

A proposta foi feita pelo Ministério da Saúde após uma reunião entre altos funcionários da saúde, o primeiro-ministro Naftali Bennett e o ministro da Saúde, Nitzan Horowitz .

O período de quarentena é atualmente de 10 dias com 2 testes negativos ou 14 dias sem testes.

Aqueles que não foram vacinados ou não se recuperaram do COVID-19 devem entrar em quarentena após exposição a portadores do vírus ou retornando de viagens internacionais.

Os vacinados e recuperados não precisam ir para o isolamento, a menos que seja confirmada a presença do vírus, embora a partir de 16 de julho todos os que chegam do exterior sejam obrigados a ficar em quarentena por 24 horas ou até receberem um resultado negativo no teste, mesmo que sejam vacinados.

Os esforços de fiscalização para garantir que os israelenses usem máscaras e respeitem a quarentena serão intensificados, decidiu o gabinete.

Os ministros pediam cada vez mais mudanças no sistema de quarentena, acreditando que, se fosse mais curto, seria mais provável que as pessoas o mantivessem.

Espera-se que a redução do período de isolamento reduza a carga sobre os pais de crianças pequenas não vacinadas que são forçadas a não ir à escola ou ao jardim de infância devido à exposição ao vírus.

Também na reunião de gabinete, foi definido que os funcionários da saúde devem apresentar sugestões sobre restrições e limitações para grandes eventos.

De acordo com o Canal 12, espera-se que os especialistas recomendem uma versão “suavizada” do sistema ” passe verde “, com eventos como casamentos, eventos culturais e esportivos exigindo que participantes não vacinados façam um teste na entrada.

A rede Kan informou que, de acordo com a proposta, o teste seria uma exigência em eventos para mais de 100 participantes.

O gabinete também estava supostamente pronto para discutir financiamento para médicos, depois que os hospitais advertiram que não tinham a equipe necessária para um novo surto com números maiores de hospitalizações.

Os fundos não foram renovados para os 600 médicos adicionais contratados durante a pandemia, e a assistência financeira aos hospitais para o pessoal adicional expirou em 30 de junho.

O Ministério da Saúde disse que 730 novos casos de coronavírus foram diagnosticados na segunda-feira, o maior nível visto desde 25 de março. Com uma nova morte, o número de mortes aumentou para 6.439. 8 mortes foram confirmadas na última semana, após quase duas semanas sem fatalidades.

Fonte: @EnlaceJudío
Foto: Canva

One thought on “Aprovada redução de quarentena de 14 para 7 dias

Fechado para comentários.