Resíduos de material de proteção ameaçam saúde

A Organização Mundial da Saúde diz que o uso excessivo de luvas, “trajes lunares”, bilhões de máscaras e seringas de vacinação para ajudar a prevenir a propagação do coronavírus provocou um excesso de resíduos de saúde em todo o mundo.

A agência de saúde da ONU relata que dezenas de milhares de toneladas de materiais médicos sobrecarregaram os sistemas de gerenciamento de resíduos e estão ameaçando a saúde e o meio ambiente, apontando para uma “necessidade urgente” de melhorar esses sistemas e contar com a colaboração de governos e da população.

“Parte da mensagem para o público é se tornar um consumidor mais consciente”, diz a Dra. Margaret Montgomery, técnica da unidade de água, saneamento, higiene e saúde da OMS.

“Descobrimos que as pessoas estão usando EPI em excesso”, diz Montgomery, referindo-se aos equipamentos de proteção individual.

A agência diz que a maioria das cerca de 87.000 toneladas desses equipamentos produzidos de março de 2020 a novembro de 2021 para combater o COVID-19 acabou sendo desperdiçada.

LEIA TAMBÉM

Mais de 8 bilhões de doses de vacina administradas em todo o mundo produziram 143 toneladas de resíduos extras em termos de seringas, agulhas e caixas de segurança.

Fonte: The Times of Israel
Foto: Canva